Sindicato de motoristas e cobradores não descarta greve para pressionar negociação

BandNews FM Curitiba


Em negociação salarial, motoristas e cobradores de ônibus não descartam entrar em greve para pressionar os patrões. A categoria pede 10% de reajuste no pagamento e também aumento no auxílio-alimentação, de R$ 575 para R$ 977, equiparando o valor ao recebido pelos funcionários da Urbs.

Os funcionários também reivindicam mudanças na jornada de trabalho. Em um vídeo direcionado aos funcionários do transporte público, o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, diz que, até agora, não houve acerto com o sindicato patronal. “Os patrões insistem na proposta de retirada de direitos e na demissão de cobradores. Se preciso for, greve vamos fazer, para garantir os direitos do trabalhador e os postos de trabalho dos pais de família”, diz Teixeira.

A contraproposta do Setransp é o reajuste do INPC dos últimos doze meses – o que não foi aceito pelos funcionários. A primeira audiência de conciliação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) está marcada para o dia 12 de abril.

Previous ArticleNext Article
Avatar
em 20 minutos tudo pode mudar
[post_explorer post_id="512607" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]