Sobe número de mortes por gripe no Paraná; já são 31 casos segundo boletim da Sesa

Alexandra Fernandes

Subi para 31 o número de mortes por gripe no Paraná, de acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira (22). São nove casos a mais do que na semana passada, quando foram registrados 22 óbitos no estado.

Das mortes confirmadas por influenza, 27 foram causadas pelo vírus H1N1. As cidades que mais registraram mortes no estado são Curitiba, com cinco casos, Foz do Iguaçu, com quatro e Cascavel com três.

Ainda de acordo com o boletim, até agora são 109 casos graves de gripe confirmados no estado. A maior parte é de Influenza A com o subtipo H1N1. Há registros também da circulação do subtipo H3 e de Influenza B.

Vacinação

Até esta quarta, o balanço da campanha de vacinação contra a gripe no Paraná mostra que 69,19% do público-alvo foi imunizado.

De acordo com secretaria da Saúde uma das formas mais eficazes de prevenção da doença é com a vacina, principalmente com a chegada do frio. “A aproximação do inverno provoca aumento do número de casos de Influenza e por isso reforçamos a necessidade de que o público-alvo estabelecido pelo Ministério da Saúde receba a dose da vacina que está à disposição em todas as unidades de saúde do estado”, afirma a enfermeira da Divisão de Vigilância do Programa de Imunização da SESA, Vera Rita da Maia.

A enfermeira destaca ainda que a vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem evoluir para casos graves da doença, internações e óbitos.

A campanha nacional de vacinação contra a gripe começou no dia 10 de abril e segue até o dias 31 de maio. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 90% dos grupos de crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos; gestantes; puérperas; idosos, povos indígenas, professores, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população privada de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 20 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e policiais civis e militares.

*Com informações Sesa

 

 

 

Previous ArticleNext Article