Sociedade resiste em se adaptar à covid-19, avalia Huçulak: “querem continuar da mesma maneira”

Redação

covid curitiba

Márcia Huçulak, secretária da Saúde de Curitiba, avalia que a sociedade sofre para aceitar a realidade imposta pelo coronavírus. Na visão dela, a chegada da covid-19 é algo que transforma completamente o curso da humanidade e requer mudanças nos comportamentos.

“A gente não tem a dimensão do quanto a pandemia vai afetar o mundo. As relações, o comércio, a indústria, as viagens… Temos um longo caminho pela frente”, afirmou ela na última sexta-feira, ao anunciar a prorrogação do decreto da bandeira vermelha até o dia 5 de abril.

“É um momento difícil quando se começa um processo que as pessoas têm dificuldade. A sociedade está resistindo a se adaptar. Há uma mudança em curso e as pessoas não estão percebendo, querem continuar vivendo da mesma maneira. Não é mais possível e não será mais possível”, completou.

Em relação aos setores que têm sofrido enorme impacto econômico, ela aponta que é preciso reavaliar. “O setor poderia trazer propostas para nós. Não tivemos isso, só propostas de abrir como sempre foi. Eles precisam pensar como podemos conviver [com o vírus]”.

Por fim, Huçulak avaliou que os especialistas em Saúde já sabiam que a pandemia pode ser comparada com uma maratona, pois não é uma questão a ser resolvida em meses. Além disso, observou que o vírus ainda pode sofrer novas mutações e gerar novos momentos críticos.

“Quando a gente olha para pandemias, nenhuma durou menos de dois anos. Algumas dizimaram grande parte da humanidade. Talvez a gente tenha novas variantes porque estamos [o mundo] muito lentos na vacinação”, finalizou.

Vale lembrar que o governo do Paraná iniciou a campanha da vacinação de “domingo a domingo”. A expectativa é que cada vez mais vacinas cheguem ao Estado, sem necessidade de armazenar as doses da segunda aplicação.

VACINA CONTRA COVID EM CURITIBA

Segundo a prefeitura, 179.841 pessoas já receberam a primeira dose da vacina em Curitiba até sábado (27). Foram vacinados:

  • 118.501 idosos;
  • 55.383 profissionais dos serviços de saúde da cidade (incluindo as equipes de vacinação);
  • 5.884 moradores e funcionários de instituições de longa permanência;
  • 73 indígenas;

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba vai imunizar idosos com idade entre 70 e 69 anos nesta segunda-feira (29/3). São 16 pontos de vacinação espalhados pela cidade.

O Ministério da Saúde já enviou  232.740 doses (CoronaVac e vacina de Oxford/AstraZeneca) de vacinas para serem usadas na primeira aplicação e 61.820 vacinas CoronaVac para a segunda dose.

O boletim aponta 171.209 casos e 3.750 mortes por covid-19 em Curitiba.

Previous ArticleNext Article