STF nega reabertura de estrada que cortava Parque Nacional do Iguaçu

Redação


O STF (Supremo Tribunal Federal) negou a reabertura da Estrada do Colono, que cortava o Parque Nacional do Iguaçu, no oeste do Paraná. A disputa judicial se arrastava há mais de 30 anos.

O caso chegou ao STF depois que um grupo de municípios recorreu da decisão do TRF4 (Tribunal Federal Regional da 4ª Região) que dizia que a estrada deveria ser mantida fechada. Em fevereiro de 2020, o STF entendeu que não seria possível recorrer da decisão do TRF4.

Já no dia 21 de abril, o prazo para questionamento foi esgotado e, com isso, ela se tornou definitiva, encerrando o caso da reabertura da Estrada do Colono.

ESTRADA DO COLONO NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU

A estrada foi aberta em 1954, depois de 15 anos de existência do Parque Nacional do Iguaçu, e ligava as cidades de Serranópolis do Iguaçu e Capanema, região da fronteira entre Brasil e Argentina.

Depois de 32 anos, a estrada -que tem aproximadamente 17, 5 quilômetros da PR-495- foi fechada pela primeira vez por uma decisão judicial que apontou danos ambientais à reserva. Porém, três anos depois ela foi reaberta depois que moradores decidiram cobrar um ‘pedágio’.

Em 2001, a Estrada do Colono foi fechada novamente. Além da determinação judicial, dessa vez o fechamento teve apoio do Exército, PF (Polícia Federal) e do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Previous ArticleNext Article