Por febre amarela, IAP fecha acesso a montanhas e outras unidades de conservação

Redação


O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) fechou para visitação as Unidades de Conservação Estaduais do Litoral por 15 dias, a partir desta quinta-feira (24).

A determinação é devido a suspeita de casos de febre amarela. Foram confirmados casos no estado de São Paulo, próximo à divisa com o Paraná, no Vale do Ribeira, nos municípios de Registro, Iporanga e El Dorado. Além disso, três foram encontrados mortos em Antonina, litoral do Paraná. A carcaça de outro animal, morto há mais tempo, também foi identificada.

O técnicos do IAP realizam exames para identificar a causa da morte dos animais.

Quanto às Estações Ecológicas e unidades de conservação onde são realizadas pesquisas, será permitida a entrada de pesquisadores com a apresentação da carteirinha de vacinação contra a febre amarela.

O IAP ressalta que os macacos não são vetores da febre amarela e sim vítimas. A morte deles é um alerta que ajuda a população a se prevenir.

O Instituto também recomendou que as unidades municipais, federais e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) também sekam fechadas.

Confira a relação das Unidades que estarão fechadas:
Parque Estadual do Boguaçu
Parque Estadual Pico Paraná
Parque Estadual Roberto Ribas Lange
Parque Estadual do Palmito
Parque Estadual da Graciosa
Parque Estadual do Pau Oco
Parque Estadual Rio da Onça
Parque Estadual das Lauráceas
APA Guaratuba
APA Guaraqueçaba
Parque Estadual Pico do Marumbi

RECOMENDAÇÃO 

Caso sejam encontrados primatas mortos na região litorânea, é preciso informar a Secretaria de Meio Ambiente do município mais próximo, ou o IAP, pelo número 41-3213-3462 ou (41) 3213-3830.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="588818" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]