Suspeito de estupro contra funcionária de loja de Curitiba tem passagens por crimes sexuais

Mirian Villa

Suspeito de estupro contra funcionária de loja de Curitiba tem passagens por crimes sexuais

Guilherme Penkal, suspeito pelo estupro contra a funcionária de uma loja no centro de Curitiba, tem passagens por crimes sexuais. Em 2012 ele cumpriu pena após cometer a mesma violação praticada na última sexta-feira (9). No ano seguinte, ele foi flagrado praticando ato obsceno em um shopping da capital.

Para a delegada Vanessa Alice, da Delegacia da Mulher, o objetivo principal dele era a violência sexual. “Ele já comentou com familiares que ele sente algo e não consegue se controlar. Desde o início nós perceber que o alvo da ação seria o estupro. Uma vez que no balcão do comércio tinha um notebook, um aparelho celular e ele não levou esses objetos”, explicou.

Depois de violentar a jovem, Guilherme Penkal pediu o celular pessoal da vítima e as chaves da loja, que foram descartados horas depois. Para a polícia, o ato de rejeitar os objetos em conjunto com o depoimento de familiares mostra que o roubo foi uma manobra para despistar o crime sexual.

Na terça-feira (13), o pedido de prisão temporária foi solicitado para a Justiça e ontem foi aceito, mas quando a equipe chegou no local, o suspeito já havia fugido. “Ele pegou algumas peças de roupas já na sexta-feira e saiu de casa dele, então, atualmente ele é considerado foragido”, argumentou Vanessa.

SUSPEITO ESTAVA OBSERVANDO REGIÃO PARA COMETER CRIME

De acordo com testemunhas, o suspeito estava observando estabelecimentos da região central de Curitiba com mulheres para cometer o crime de estupro. Em alguns casos, ele se deparou com homens e recuou.

“Ele já tinha entrado em uma academia e inclusive tentou convencer a professora para entrar, mas ela disse que não, que no local os atendimentos eram realizados com horário agendado. Então, ele entregou um cartão para a proprietária. Ele foi em um estúdio e também foi atendido por uma mulher, mas quando subiu para o primeiro andar encontrou com homens. A testemunha até relatou que ele teve um choque quando se deparou com outras pessoas”, diz a delegada responsável pelo caso, que colheu os depoimentos.

Para a polícia, ele escolheu o local aleatoriamente para cometer o crime porque a funcionária estava sozinha na loja.

FUNCIONÁRIA DE LOJA NO CENTRO DE CURITIBA É ESTUPRADA EM PLENA LUZ DO DIA

O crime aconteceu no horário do almoço, por volta das 13h20, da última sexta-feira (9). Quando entrou no local, Guilherme Penkal pediu informações sobre alguns itens e foi embora. Pouco minutos depois ele voltou armado e deu voz de assalto e levou a jovem, de 18 anos, para os fundos da loja. Nesse momento, ele cometeu o crime de estupro. “De maneira bastante violenta”, frisa a delegada.

Em seguida, ele pediu o celular pessoal da vítima, as chaves do estabelecimento e pegou R$ 50 reais do caixa. Imagens de câmera de segurança da Alameda Prudente de Morais flagraram o suspeito andando tranquilamente após a violência sexual. Horas depois, ele abandonou o celular e chaves. Foi para casa, separou algumas peças de roupas e fugiu calmamente.

Guilherme Penkal fugindo após o crime (Divulgação/PCPR)

A identificação dele foi possível através do banco de dados de pessoas que cometeram o crime de estupro. Os investigadores chegaram em Guilherme Penkal através das descrições repassadas pela vítima.

“Na segunda-feira a noite nós pegamos algumas fotografias e encaminhamos para a vítima, ela achou parecido. Então, buscamos fotos e vídeos dele nas redes sociais e repassamos para ela. Nesse momento a vítima reconheceu tanto a voz, quanto a selfie. As testemunhas também reconheceram e a prisão temporária foi solicitada”, disse Vanessa.

POLÍCIA PEDE AJUDA PARA LOCALIZAR GUILHERME PENKAL

Nas redes sociais, Guilherme Penkal se intitula como terapeuta cântico. Em diversas postagens ele se intitula como consultor e ensina pessoas que acreditam na lei da atração a realizar os seus desejos. Através de seu perfil, é possível notar que seus atendimentos são praticamente só para mulheres.

Após pedido de colaboração da população sobre o paradeiro do foragido, diversas pessoas foram até um perfil nas redes sociais do suspeito alertar as pessoas que o seguem. “Atenção, esse cara é um estuprador e está sendo procurado aqui em Curitiba”, alerta um perfil.

A PCPR (Polícia Civil do Paraná) informa que as denúncias sobre o paradeiro de Guilherme Penkal podem ser feitas de forma anônima pelos telefones 197, 181 ou pelo (41) 3219-8600, diretamente à equipe de investigação.

POLÍCIA PEDE AJUDA PARA LOCALIZAR GUILHERME PENKAL
Divulgação/PCPR

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="775698" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]