Suspeitos de clonar placas de veículos são presos em Pinhais

Simone Giacometti

 

Policiais do Centro de Operações Especiais  – COPE – prenderam em flagrante Patricia do Rocio Carvalho, de 29 anos e Robson Rolim Fernandes, de 22 anos.  A dupla foi presa nesta sexta-feira (15) em um condomínio fechado no bairro Jardim Tarumã, em Pinhais , na região metropolitana de Curitiba.    No local, foram encontrados materiais usados para fabricar e adulterar placas. 

De acordo com o delegado Rodrigo Brown, esse tipo de atividade criminosa ajuda as quadrilhas a cometer vários tipos de delitos. “O Cope combate os crimes graves, e também combate aqueles crimes que dão apoio à criminalidade. Nesse caso, todo roubo que a gente presencia aqui na policia, geralmente envolve um veiculo de fuga  com placas clonadas. E é aí que a Patrícia entrava. Ela é reincidente e já tinha sido presa em 2017 por esse mesmo motivo. Junto com ela, estava o Robson, que ajudava na fábrica na casa dela. Nós chegamos até a dupla através de investigações feitas a partir de denúncias de vizinhos.  Ela só trabalhava de madrugada e fazia muito barulho”, explica ele.


Além de uma prensa, foram apreendidas 180 placas novas e 16 placas prontas, mais de 200 tarjetas de identificação, matrizes e um exemplar Padrão Mercosul. A polícia vai investigar se essa nova placa já estava sendo usada para clonagem.  Também foram apreendidas uma motocicleta e um motor com o mesmo número de chassis, o que indica que houve adulteração.

Ainda segundo o delegado Rodrigo Brown, a clonagem de placas pode ser considerada um crime leve, porém gera muitos problemas. “Imagine a dor de cabeça que uma pessoa que teve a placa clonada tem para provar que foi vítima de um crime, tem que cancelar o número, provar que não cometeu as infrações de trânsito e notificações que geralmente são feitas, por isso a importância dessas prisões”, finaliza.

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook