Taça das Favelas reúne 52 equipes em 15 cidades paranaenses

Deputado Zeca Dirceu destaca atuação da Cufa e destina emenda de R$ 700 mil para o certame Taça das Favelas que reúne 52 equipes

Redação - 28 de julho de 2022, 19:35

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

O trabalho realizado pela Central Única das Favelas (Cufa), em apoio às famílias em situação de vulnerabilidades, recebeu elogios do deputado federal petista, Zeca Dirceu que destacou as ações de enfrentamento da pandemia junto aos moradores das favelas.

Para o parlamentar, "a Cufa é organizada, articulada, consegue estabelecer boas parcerias, inclusive com o setor privado, e está de fato presente nas favelas levando educação, esporte, cultura, lazer  e oportunidades de emprego e empreendedorismo, capacitação profissional". O deputado participou do lançamento da Taça das Favelas, competição que vai reunir 52 equipes em 15 cidades do Paraná.

Zeca Dirceu destinou uma emenda parlamentar de R$ 700 mil para atividades da Cufa e destacou que a ação da central na pandemia entregou milhares de cestas básicas e gêneros de primeira necessidade, gás de cozinha, absorventes, às famílias vulneráveis das favelas. "Eu acompanhei, muitas vezes, a Cufa nas doações de alimentos, produtos de higiene, roupas, chips para uso da internet aos estudantes que estavam em ensino remoto", disse,

A Cufa, segundo o deputado, estabelece um vínculo saudável nos territórios de atuação e parcerias importantes com os setores público e privado. "As competições, como a Taça das Favelas, são fundamentais às comunidades, importantes para dar visibilidade aos setores excluídos. Os jovens e as crianças que participam dessas atividades, esportes e artes, estão mais distantes  da violência ".

Esporte e cultura

"Eu fui prefeito da minha cidade em Cruzeiro do Oeste por duas vezes. Eu investi muito no esporte, na educação e na cultura. Aprendi que este tipo de investimento transforma a vida dessas pessoas que vão estar mais conectadas com o futuro, que proporcionará uma vida mais saudável e com a perspectiva de uma vida melhor", afirma.

"As competições e outras ações desenvolvidas pela Cufa  mostram também que a favela tem os seus valores. Tem artistas, atletas e pessoas com grande capacidade. É dá também um sentido de grandeza não só para as pessoas que estão na favela"

Sete mil jovens

A Taça das Favelas é considerada o maior campeonato de futebol do mundo entre comunidades que volta depois de dois anos suspensa por conta da pandemia. Sete mil jovens participaram das seletivas e 1.248 foram escolhidos para compor as 32 equipes masculinas e 20 femininas em 15 cidades paranaenses.

A disputa começa no dia 6 de agosto e neste ano reúne participantes nascidos entre 2005 e 2008. "Tivemos mais de 100 favelas inscritas, mas temos uma linha de corte. Devido à grande procura, queremos criar para o ano que vem divisões entre séries A e B,  após ranqueamento, para atendermos mais de 50 favelas em cada um dos grupos", disse José Antônio Campos Jardim, presidente da Cufa Paraná.

A Taça das Favelas é organizada pela Central Única das Favelas desde 2012. Em todo o Brasil, mais de 100 mil jovens participam da competição. A final paranaense está prevista para 8 de outubro na Vila Capanema em Curitiba.