Taxistas bloqueiam estradas de aeroporto e rodoviária em protesto contra o Uber

Taxistas realizaram uma manifestação na noite desta quarta-feira (7), em Curitiba e região metropolitana.O protesto come..

Mariana Ohde - 08 de dezembro de 2016, 10:32

Taxistas realizaram uma manifestação na noite desta quarta-feira (7), em Curitiba e região metropolitana.

O protesto começou na Rodoferroviária da capital por volta das 23h30. Depois, os taxistas seguiram até o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais. Eles bloquearam a entrada do aeroporto, que foi liberada apenas às 7h.

Os trabalhadores reivindicam a votação imediata, na Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei 5587/2016, que regulamenta aplicativos de carona paga, como a Uber, em todo o país.

Nilson José Rocha da Silva, diretor e fundador da União dos Taxistas de Curitiba, disse que a categoria não está com medo de concorrência, mas exige a regulamentação para que o aplicativo opere pagando todos os impostos e taxas.

"Vão ter que começar a pagar impostos, regulamentar os motoristas", diz, acusando a empresa de não ter um processo seletivo adequado de funcionários. "O que interessa para eles é ganhar dinheiro. E para ganhar dinheiro não pode pagar impostos. Regulamentação gera impostos", afirma.

Nilson José Rocha da Silva reclamou do adiamento da votação do projeto, que estava marcada para o último dia 6. Ele critica o atual presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia, do DEM fluminense. "Gastamos o que a gente não tinha de dinheiro. Tivemos que fazer vaquinha para mandar os taxistas para Brasília. Chega lá, ele faz o que? Ele ignora que tem três mil taxistas lá na frente", reclama.

Outro projeto de lei que regulamenta o transporte individual de passageiros está em tramitação na Câmara Municipal de Curitiba, mas a proposta só deve ser votada a partir de 2017.

De acordo com informações da PM, as manifestações dos taxistas ocorreram de forma pacífica. A Infraero informou que não houve atrasos ou cancelamento de voos no Aeroporto Afonso Pena.

Uber

O Uber se manifestou, na ocasião do protesto em Brasília, sobre o projeto de lei. Confira o texto na íntegra:

Leis que visam impor limites artificiais  ao direito de cada um de fazer uso da tecnologia para gerar renda vêm sendo consideradas inconstitucionais pelo Judiciário. Este é mais um Projeto de Lei que pode acabar com dezenas de milhares de oportunidades de geração de renda, além de acabar com a possibilidade das pessoas deixarem seus carros particulares em casa e compartilharem sua viagem. A Uber acredita que todo cidadão tem o direito de escolher como quer se movimentar pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente.