TCE-PR identifica aglomerações em ônibus de Curitiba

Grasiani Jacomini - CBN Curitiba

ônibus curitiba aglomerações

Analistas do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) realizaram uma auditoria no transporte público de Curitiba nas últimas semanas. A situação encontrada foi o de ônibus de várias linhas circulando lotados, contrariando as regras de distanciamento social previstas na Lei Municipal nº 15.627/2020.

Foram feitas vistorias presenciais em estações tubo em diferentes ponto da capital paranaense. Além dos ônibus estarem circulando com mais de 50% da capacidade total, Fernando Matheus da Silva, analista de controle do TCE e coordenador da auditoria, explica que foram identificadas falhas relativas às políticas e controles de segurança das informações do sistema de transporte coletivo de Curitiba.

“A gente utilizou um trabalho da Universidade Federal do Rio de Janeiro como parâmetro e fomos fazer a inspeção in loco. Verificamos que vários dos ônibus estavam descumprindo critério que a prefeitura estabeleceu, que os veículos andassem com no máximo de 50% da lotação. E outro achado que nós constatamos é a questão da tecnologia de informação. Havia falhas relativas à política e controle de segurança dessas informações no sistema de Urbs”, diz ele.

Como recomendação o analista do TCE afirma que, dentro de um mês, a Prefeitura de Curitiba e a Urbs estabeleçam o espaçamento de seu horário de pico no transporte coletivo.

“A Urbs nos passou a demanda relacionada a junho, julho e agosto. Ela tava em média de 42%. Se você tem uma demanda em 42% do que era estimado e você encontra ônibus lotados, significa que você está concentrando pessoas em horários específicos. O que a gente recomendou é que a prefeitura faça o espraiamento desses horários de pico e fiscalize isso para que você tenha pessoas andando em todos os horários “, completou.

O TCE também pediu à Urbs que em 60 dias seja apresentado um cronograma estabelecendo os responsáveis pelas irregularidades apontadas.

A auditoria do TCE no transporte público acontece também em outras cidades do interior do Paraná, fiscalizando o controle do pagamento dos subsídios às empresas de transporte coletivo, além da operacionalização do sistema.

CBN Curitiba entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba para um retorno sobre o assunto e até o momento não teve resposta.

Previous ArticleNext Article