TCE manda suspender a circulação dos ônibus em Curitiba; Prefeitura recorre

Vinicius Cordeiro

ônibus curitiba tce prefeitura decreto

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) determinou que o município de Curitiba suspenda a circulação dos ônibus a partir da meia-noite deste sábado (20). A prefeitura vai recorrer da medida cautelar.

A decisão foi expedida pelo presidente do TCE-PR, conselheiro Fabio Camargo, que considerou o recorde de mortes alcançado ontem (44 óbitos registrados em 24 horas) e a lotação máxima dos leitos da rede pública. Neste momento, Curitiba não tem enfermarias e nem UTIs livres para atender novos pacientes.

Além de suspender a circulação dos ônibus, a decisão do TCE aponta que a prefeitura de Curitiba assegure o fornecimento de transporte a todos os trabalhadores da área de Saúde e demais funcionários das atividades essenciais, incluindo os colaboradores que atuam na aplicação das vacinas.

Em nota publicada nesta tarde, Camargo reforçou que a decisão cabe ao TCE e reforçou que a cidade está em colapso sanitário. Além disso, ressaltou que outras cidades do Paraná, como Ponta Grossa, adotaram a ação nesta semana.

“Uma vez que parando o transporte público de Curitiba, a tendência é de uma considerável redução de passageiros nos ônibus que chegam à capital. Nesta crise sem precedentes que atravessamos é necessário urgentemente restringir a circulação de pessoas para frear o avanço do contágio”, apontou o presidente do TCE.

PREFEITURA DE CURITIBA VAI RECORRER PARA MANTER CIRCULAÇÃO DOS ÔNIBUS

A prefeitura de Curitiba vai acionar o TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná) para manter todos os veículos do transporte público em funcionamento.

Questionado sobre o tema, o prefeito Rafael Greca (DEM) não poupou críticas e apontou que a decisão do TCE foi tomada por “mão pueril” e de alguém “jovem”.

“Vamos recorrer ao Tribunal de Justiça para que essa sandice não se consume. Uma grande cidade precisa do ir e vir dos profissionais de saúde, dos intensivistas, dos seus conservadores, os que limpam, que varrem, que apoiam, que seguram os doentes na condição de cuidadores”, afirmou Greca.

A declaração foi feita após o anúncio da prorrogação do decreto da bandeira vermelha. Curitiba deve ter medidas mais restritivas até o dia 28 de março, véspera do aniversário de 328 anos da cidade.

Conforme as regras, as atividades consideradas não essenciais, como comércio, academias, parques e bares, não podem funcionar. Mercados, panificadores, farmácia e postos de combustíveis, considerados serviços essenciais, podem atuar com restrições de horários.

Contudo, o funcionamento do transporte coletivo – e a manutenção dos ônibus – segue mantida por meio do decreto.

Por fim, vale lembrar que o governo do Paraná publicou decreto nesta sexta-feira para que municípios da Região Metropolitana sigam as ações de combate à covid de Curitiba.

Previous ArticleNext Article