Telas são instaladas no Zoológico para proteger primatas contra febre amarela

Redação

O Zoológico de Curitiba está instalando telas nos recintos dos primatas dentro e fora da área de exposição do parque. A medida é preventiva e busca proteger os animais do vírus da febre amarela, em circulação em municípios vizinhos, como São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

“É importante salientar que não tivemos animais infectados e que a morte de um primata foi longe da divisa com Curitiba”, conta a chefe de fauna do Zoo, Nancy Banevicius.

Os ambientes em que vivem os micos-leões-dourados, micos-leões-da-cara-dourada, micos-de-cheiro, saguis, cuxiús, macacos-aranha e monocarvoeiros recebem a proteção antimosquito. Estão sendo colocados 2,2 mil metros quadrados de telas.

“Além do telamento, alguns animais mais vulneráveis foram remanejados para fora da área de exposição”, explica a bióloga do Zoológico. “Estamos zelando pela saúde e pelo bem-estar dos animais, os macacos não transmitem o vírus para os humanos”, completa Nancy.

Outros zoos do Brasil próximos de áreas onde houve infecção comprovada também tomaram esta medida. É o caso das unidades de São Paulo (SP) e Brusque (SC). Em razão do reflexo da luz nas telas, as equipes de manutenção vão fazer a pintura com tinta preta sem odor e atóxica, sem prejuízo aos animais, nas faces voltadas para os visitantes.

Previous ArticleNext Article