câmara federal
Compartilhar

Tempo vira no sul com chuva, vento forte e possível geada

O tempo muda no Sul do Brasil nesta quarta-feira com a chegada de uma frente fria que pode provocar chuva e ventos forte..

Jordana Martinez - 02 de agosto de 2017, 15:48

O tempo muda no Sul do Brasil nesta quarta-feira com a chegada de uma frente fria que pode provocar chuva e ventos fortes.

No Paraná, depois de 15 dias de tempo seco e temperaturas altas em pleno inverno, o tempo fecha e a chuva deve atingir várias regiões do estado.

De acordo com o Simepar, o eixo da frente fria avança lentamente pelo extremo-sul do País. As nuvens que podem trazer chuvas são previstas para atingir todas as regiões paranaenses, a partir do oeste/sudoeste.

E depois da chuva, claro, vem o frio, com mínimas previstas de 5ºC em Guarapuava, 6ºC em Ponta Grossa e 7ºC em Curitiba no fim de semana.

A frente fria vem da Argentina e atinge primeiro as cidades de Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão e Pato Branco

Vento forte e possível geada

O avanço da frente fria sobre provoca grande variação da pressão atmosférica sobre a Região Sul que promete rajadas de ventos mais intensas devem ficar entre 60 km/h e 80 km/h, segundo o Instituto Climatempo.

Na sexta-feira (04), o dia começa frio e pode gear ao amanhecer nas serras gaúcha e catarinense. No leste do PR e de SC o céu fica com muitas nuvens.

Seca no sul

De acordo com o Insituto ClimaTempo, o mês de julho de 2017 terminou com chuva muito abaixo da média em toda da Região Sul do Brasil, acompanhando o que foi observado em quase todo o país. Nas capitais Curitiba e Florianópolis, julho de 2017 foi o terceiro mais seco em 56 anos. Porto Alegre teve o menor volume de chuva para um julho também em 56 anos, portanto desde 1961.

Curitiba acumulou menos de 8 mm em 31 dias. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 7,8 mm em julho de 2017 e quase toda a chuva caiu entre os dias 17 e 18 de julho quando choveu 6,2 mm. Julho de 2017 foi o julho mais seco na capital do Paraná desde 1991, quando choveu apenas 2,7 mm, e o terceiro mais seco em 56 anos de medições, no período de 1961 a 2017.

A razão para tão pouca chuva está no bloqueio atmosférico que predominou sobre o Brasil no mês de julho e que dificultou a passagem de frentes frias até a Região Sul.