Toalha de Lula e heroísmo marcam enterro de petista em Foz do Iguaçu

Relembre quem era Marcelo Aloizio de Arruda, filiado ao PT há 30 anos e morto a tiros por um bolsonarista durante a festa de aniversário.

Redação - 11 de julho de 2022, 17:40

(Paulo Lisboa/Folhapress)
(Paulo Lisboa/Folhapress)

Marcelo Arruda, guarda municipal e tesoureiro do PT (Partido dos Trabalhadores), foi enterrado no cemitério Jardim São Paulo, em Foz do Iguaçu, na região oeste do Paraná, na tarde desta segunda-feira (11). O caixão foi sepultado com uma toalha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sob aplausos de familiares e amigos. No velório, bandeiras do PT e da Guarda Municipal foram colocadas em cima do caixão.

O guarda municipal foi morto a tiros, durante a festa de aniversário de 50 anos, que tinha o PT como tema, pelo policial penal Jorge Guaranho. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Guaranho foi atingido por três tiros e está em estado grave, mas não corre risco de morte. 

A cerimônia contou centenas de pessoas e ficou marcada por falas sobre o heroísmo de Arruda ao salvar os familiares na festa de aniversário. "Ele será sempre um herói que não usou capa, não voa, não solta raio pelo olho. Mas salva vidas. Vamos acabar com essa história de ódio".  

O cortejo ainda teve uma passagem em frente à Guarda Municipal da cidade, onde Arruda trabalhou por 28 anos, desde que se formou na primeira turma da instituição. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, compareceu ao velório.

QUEM FOI MARCELO ARRUDA

Marcelo Aloizio de Arruda morreu aos 50 anos e era casado com a investigadora da policial civil Pâmela Suellen Silva, de 38 anos, e tinha quatro filhos. 

Filiado ao PT há 30 anos, ele se formou em 2003 no curso de biologia pela UniAmérica Centro Universitário, de Foz do Iguaçu. 

Ele era diretor da executiva do Sismufi (Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu) e foi candidato a vice-prefeito de Foz do Iguaçu, na chapa encabeçada por Luiz Henrique Dias da Silva, também do PT. A dupla obteve apenas 2.884 votos válidos, ou o equivalente a 2,2% do total. 

COMO FOI A MORTE DO GUARDA MUNICIPAL PETISTA EM FOZ DO IGUAÇU

O guarda municipal e tesoureiro do PT, Marcelo Aloizio Arruda, foi assassinado com dois tiros de arma de fogo, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, durante sua festa de aniversário de 50 anos.

O salão de festas da ARESF (Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu) estava decorado com balões vermelhos e imagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Cerca de 40 pessoas estavam no local. Segundo o boletim de ocorrência registrado na 6.ª Subdivisão Policial de Foz do Iguaçu, durante a festa, o bolsonarista Jorge Guaranho - que era desconhecido por todos e não estava convidado - chegou ao local armado, acompanhado de uma mulher e uma criança de colo, dizendo aos gritos: "Aqui é Bolsonaro!".

Aproximadamente 20 minutos depois, o agente penitenciário retornou ao local, desta vez sozinho, com a arma de fogo em mãos. A esposa do aniversariante, que é policial civil, se identificou mostrando o distintivo. O aniversariante também sacou uma arma para que o agressor recuasse.

Conforme narra o boletim de ocorrência, ignorando os avisos, Jorge Guaranho abriu fogo e efetuou vários disparos. Pelo menos dois acertaram Marcelo, que revidou a agressão e atirou contra o bolsonarista três vezes.

O guarda municipal e tesoureiro do PT chegou a ser socorrido, mas morreu logo depois. Já o policial penal federal está internado em estado grave, num hospital da cidade.