Torcedor do Paraná Clube, réu pela morte de rival do Coritiba, é absolvido em júri popular

Redação

Júri popular de torcedor do Paraná Clube acusado de matar rival do Coritiba acontece hoje; assista

O torcedor do Paraná Clube Deyves Lourival Moreira de Silva Júnior foi absolvido em júri popular da acusação de matar rival do Coritiba em novembro de 2019. O julgamento terminou na madrugada desta quarta-feira (28), após 12 horas.

A denúncia foi considerada improcedente, sendo assim réu se tornou inocente da acusação de homicídio duplamente qualificado pelo Conselho de Sentença. Inocentado, Deyves Júnior, conhecido como Juninho, foi liberado da prisão.

O argumento que a acusação sustentava partiu do testemunho de três torcedores do Coritiba, afirmando que teriam Juninho seria o autor dos disparos, indicando inclusive a roupa vestida por ele no dia -uma camiseta metade azul e metade vermelha- que era corroborada pelo depoimento do PM Bruno Lage.

Porém, a defesa do paranista alegava que a própria Império teria disparado contra o companheiro, já que torcedores do Tricolor atiraram para o alto na tentativa de dispersar os rivais e nesse momento, segundo a defesa, algum torcedor do Coritiba teria revidado e acertado Siebre na nuca.

Outro suspeito, identificado como Eloir, deve ser julgado pela morte do jovem torcedor do Coritiba. Durante o júri, ele foi apontado por Deyves como um dos integrantes que estariam armados no dia do crime. A data, entretando, ainda não foi marcada.

Para o advogado do torcedor do Paraná Clube, a justiça foi feita. Já a defesa da família de Lucas Siebre Gonçalves, torcedor do rival Coritiba, afirmou que vai recorrer da decisão já que a sentença é contrária às provas apresentadas nos autos.

ENTENDA O CASO

O crime aconteceu no dia 16 de novembro de 2019, no bairro Xaxim, na Linha Verde de Curitiba. Lucas Gonçalves foi morto ao encontrar torcedores do Paraná Clube que participavam de uma festa em uma casa noturna.

Deyvis Júnior fazia parte da Fúria Independente na época e houve uma briga generalizada entre as torcidas rivais. De acordo com informações do processo, disparos de armas de fogo teriam sido realizados contra os torcedores rivais. Um dos tiros atingiu Lucas, que morreu dois dias depois em um hospital da Capital.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="760483" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]