Trabalhadores dos Correios mantêm greve no Paraná

Mariana Ohde


26 dos 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios decidiram nesta terça-feira (2), em assembleia da categoria, manter a greve iniciada no dia 27 – entre eles, o sindicato no Paraná (Sintcom-PR). Uma nova assembleia será realizada na quinta-feira (4) apenas.

Os sindicatos que mantiveram a paralisação, além do Paraná, são: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Brasília, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, São José do Rio Preto, São Paulo (capital, Vale do Paraíba, São José do Rio Preto, Campinas, Bauru e Ribeirão Preto) e Santa Catarina.

Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares, que convocou a greve, nesta quarta-feira (3) haverá uma reunião, às 10h, com o presidente da empresa. Às 15h haverá uma mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Demandas

A categoria se posiciona contra a privatização dos Correios, retirada de direitos, fechamento de agências, entrega alternada (DDA, OAI), falta de segurança, suspensão de férias, demissões motivadas e cobrança no plano de saúde. Segundo o sindicato, os trabalhadores também pedem a matutina em todo o país, por contratações e pela abertura dos livros contábeis da empresa. Os trabalhadores também são contra as reformas trabalhista e da Previdência, entre outras demandas.

Funcionamento das agências

Segundo o Sintcom-PR, as agências estão funcionando parcialmente ou estão fechadas em Curitiba, Arapongas, Toledo, Campo Mourão, Cianorte, Goioerê, Pérola, Altônia, Godoy Moreira, Mariluz, Moreira Sales, Paranavaí, Janiópolis e Telemaco Borba.

Orientações

Com a greve, a população pode enfrentar dificuldades, como o pagamento de contas que podem vir a vencer, gerando multas e juros. Nestes casos, o Procon-PR orienta o consumidor a buscar meios alternativos para a emissão da segunda via do documento de pagamento.

Em algumas situações, o boleto bancário pode ser impresso, acessando a página do fornecedor na internet. Também é possível contatar o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da empresa e solicitar a remessa do boleto por e-mail ou fax, pedir o código de barras do documento, ou local para efetuar o pagamento.

O Procon lembra que o fornecedor deve disponibilizar outras formas de pagamento, além do boleto bancário. Se houver algum prejuízo em razão da não disponibilidade, é aconselhável procurar os órgãos de defesa do consumidor.

A emissão do boleto não pode ser cobrada, conforme norma do Banco Central (Resolução 3.693/09). A cobrança já era considerada ilegal pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), pois as despesas relacionadas ao processamento da fatura são de responsabilidade do fornecedor e não devem ser repassadas aos consumidores.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="428590" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]