Transporte público de Curitiba tem média de dois arrastões ou assaltos por dia

Thaissa Martiniuk - Bandnews FM Curitiba

arrastões assaltos transporte público de curitiba violência geraldoAGB

No primeiro semestre deste ano, o transporte público de Curitiba registrou 373 ocorrências de assaltos e arrastões em ônibus e terminais da capital paranaense. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná, em média, são atendidos dois casos por dia no sistema.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 606 roubos ou furtos, as ocorrências de janeiro a junho de 2019 diminuíram 38,4%.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana não contesta os dados apresentados pela Sesp. No entanto, o diretor do setor de inteligência do Sindimoc, Ari Dario Pereira, diz que os números podem estar subnotificados, já que os passageiros deixam de registrar boletim de ocorrência.

“Então a gente que acompanha sabe que esse número é até maior. A gente vê que a população reclama e tem medo de usar o transporte público de Curitiba, mesmo com as operações da Polícia Militar e da Guarda Municipal”, relatou.

Já o diretor da Guarda Municipal de Curitiba, Odgar Nunes Cardoso, diz que a corporação intensificou as operações para coibir a ação de ladrões no sistema de transporte coletivo de Curitiba. De acordo com ele, a partir das denúncias feitas pela população, a Guarda faz um mapeamento de locais e horários em que há um maior número de ocorrências e, com isso, passa a fazer um monitoramento mais frequente.

“Nós temos um grupo de inteligência que em conjunto com as polícias Militar e Civil. Fizemos nosso planejamento por meio desses índices, com base nas denúncias dos usuários. A gente vai nas linhas e nos horários que estão dando mais problema”, defendeu.

A Guarda Municipal acrescenta ainda que a instalação de câmeras de segurança dentro de algumas linhas de ônibus da capital também tem ajudado a identificar suspeitos e inibir casos de furtos e roubos.

Para Sindimoc, mais que a instalação de câmeras de monitoramento em estações-tubo e ônibus do transporte público de Curitiba, seria necessária a criação de uma delegacia especializada no atendimento a este tipo de crime, como assaltos e arrastões.

A Guarda Municipal pede que a população faça o registro das ocorrências pelo telefone 153 ou pelo 190 da Polícia Militar.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="651942" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]