“Tsunami Meteorológico” atinge SC, arrasta carros e causa estragos

Jordana Martinez

Várias praias no Sul de Santa Catarina, foram atingidas por um temporal e ventos que chegaram a 100 km/h na tarde deste domingo (16).

A Defesa Civil informou que houve resgate de pessoas em Balneário Rincão, onde a tempestade ficou mais intensa por volta das 17h. Uma onda gigante atingiu as pessoas e carros que estavam na orla. Muitos veículos foram arrastados e alguns ficaram submersos no mar.

Tsunami Meteorológico

Esse tipo de formação de onda gigante já foi registrado em Florianópolis em 2009, quando a água atingiu praias do Sul da Ilha. O mesmo aconteceu na Praia do Cassino, no Rio Grande do Sul, em 2014.


De acordo com o meteorologista Leandro Puchalski, da Central RBS de Meteorologia, esse tipo de formação de onda já foi registrado em Florianópolis em 2009. Segundo Puchalski, isso ocorre quando uma quantidade de nuvens carregadas avança rapidamente.

“Ao avançarem, [as nuvens] podem entrar em ressonância com uma onda longa do mar, avançando pela praia, com caraterísticas de um tsunami real”, explica.

[insertmedia id=”NtuTnf1JuSg”]

[insertmedia id=”nfnebstMb70″]

Outra cidade que registrou estragos foi Tubarão, onde casas foram destelhadas, houve interrupção do abastecimento de energia elétrica e uma criança de sete anos morreu quando o carro em que estava foi atingido por uma árvore. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Foi montada uma Sala de Situação na cidade para atender a população.

No Facebook, o prefeito eleito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), relatou o ocorrido:

“Acabamos de viver uma tarde assustadora na nossa Tubarão, rajadas de vento e chuva como nunca vi. Essa é a situação da ponte Dilnei Chaves Cabral nesse momento, com notícias de muitas outras ocorrências já”, disse.

Estragos

Os temporais e ventanias causaram estragos em doze cidades catarinenses – Tubarão, Laguna, Braço do Norte, Pedras Grandes, Araranguá, Balneário Rincão, Imbituba, Morro da Fumaça, Urussanga, Garopaba, Orleans e Anitápolis. O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, está na região atingida para acompanhar o registro dos estragos e acionar a Defesa Civil brasileira, caso seja necessário.

Post anteriorPróximo post
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.