Uber começa a operar em Maringá nesta sexta-feira

Mariana Ohde


O aplicativo de caronas pagas Uber começa a operar em mais uma cidade paranaense nesta sexta-feira (13). Maringá recebe o UberX a partir das 14h. A cidade é a terceira no estado onde o aplicativo está disponível – o Uber também funciona em Curitiba e Londrina.

Em Maringá, com o UberX, a tarifa inicial será de R$2,50, mais R$ 1 por quilômetro rodado e R$ 0,20 por minuto. O preço mínimo de corrida e a taxa de cancelamento têm valor único de R$ 5. Para chamar os carros, o usuário precisa instalar o aplicativo no celular e se cadastrar com seus dados e um cartão de crédito – na cidade, esta será a única opção de pagamento aceita. Em Curitiba e Londrina já são aceitos também pagamentos em dinheiro.

Oportunidade de trabalho

Os interessados em se tornarem motoristas do Uber podem se cadastrar no site da Uber ou ParceiroBR. Os motoristas precisam ter CNH com especificação do exercício de atividade remunerada, além de atestado de antecedentes criminais e documentos do carro em dia.

Regulamentação

Ainda não há legislação que regulamente a operação de aplicativos de caronas pagas no Paraná. Por isso, alguns impasses têm sido registrados entre motoristas da empresa e taxistas, que pedem a regulamentação alegando desigualdade na concorrência.

Em Curitiba, o Projeto de Lei 563/2016 está sendo discutido na Câmara Municipal. O projeto foi protocolado em maio de 2016. Há ainda uma multa, cujo projeto foi sancionado pelo prefeito Gustavo Fruet, de R$ 1,7 mil para motoristas que foram flagrados transportando pessoas e que não forem taxistas, porém, ela ainda não está sendo aplicada por falta de regulamentação – não se sabe como seria feita a fiscalização e cobrança. Também há projetos sobre o tema no Congresso Nacional, entre eles o PL 5587/2016, segundo o qual os motoristas dos aplicativos precisariam seguir regras parecidas com as impostas aos taxistas no Brasil.

Hoje, motoristas do Uber flagrados em atividade estão sujeitos a uma multa com base no Código de Trânsito, que pune quem estiver “efetuando transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para esse fim, salvo casos de força maior ou com permissão da autoridade competente” como infração média passível de multa e retenção do veículo.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="408463" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]