UFPR busca apoio político para reverter corte no orçamento

Marcelo Ricetti - CBN Curitiba


O anúncio do corte de 30% das verbas destinadas às universidades públicas brasileiras, feito pelo Ministério da Educação, indignou a comunidade acadêmica, em todo o País. Na Universidade Federal do Paraná, que é a mais antiga instituição de ensino superior do Brasil, não é diferente.

Neste momento, o reitor Ricardo Marcelo Fonseca tem uma série de encontros com políticos das várias esferas do poder para tentar reverter esta situação, que atinge o custeio e pode refletir, inclusive, em áreas importantes como a pesquisa e a extensão. Segundo ele, há uma reunião prevista, inclusive, com o governador do estado, Rainho Junior.

Em complemento ao apoio externo, de autoridades constituídas, o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, espera pelo engajamento à causa da própria comunidade acadêmica. Inclusive, indo às ruas. “A nossa comunidade tem que sair à rua, tem que fazer seu papel, mostrar sua indignação, porque a universidade é um lugar de liberdade de expressão”, afirma.

Ele ressalta também que houve apoio de diversas esferas da sociedade. “As forças políticas, até aqui, estão abraçando a UFPR e as universidades federais do estado. Isso está acontecendo pelo Brasil inteiro. Tenho percebido que a imprensa tem se engajado, de maneira positiva”.

O reitor também considera que é importante que a universidade mostre para a sociedade todo o seu amplo leque de atividades intramuros, para explicar a importância destas instituições no contexto social. Segundo Ricardo Marcelo Fonseca, apesar dos ajustes financeiros, em função do corte anunciado pelo MEC, pode ter o seu funcionamento comprometido no segundo semestre deste ano.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="618606" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]