Ulisses Maia chama Ministério da Saúde de “omisso” e anuncia R$ 100 milhões para vacinas

Jorge de Sousa e Vinicius Cordeiro

Ulisses Maia chama Ministério da Saúde de "omisso" e anuncia R$ 100 milhões para vacinas

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, criticou o trabalho do Ministério da Saúde na distribuição das vacinas contra a Covid-19 no país e afirmou que a Prefeitura separou R$ 100 milhões para a compra de imunizantes.

“Não tem quem ache que o plano deles é bom, sendo que nós somos os últimos do mundo, vacinando de 2% a 3% da população brasileira. Foi omisso, foi letárgico, negou lá atrás o contrato com a Pfizer e vai agora assinar o mesmo contrato, perdeu quantos meses com essa vacina podendo ser aplicada na população. Evidentemente está lento”, explicou Maia em entrevista ao Paraná Portal.

Maringá iniciou a vacinação aos idosos com 78 anos nesta semana, mas ainda não conseguiu imunizar 25% dos 403.063 habitantes do município, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde.

Como forma de aumentar a velocidade da imunização contra a Covid-19 no município, Ulisses Maia planeja ir ao mercado e comprar vacinas junto aos laboratórios.

“Quando eu percebi lá atrás que a situação estava desse jeito, eu procurei em novembro, sendo uma das primeiras do Brasil a assinar o convênio com o (Instituto) Butantan. Agora com a liberação do Governo Federal, que devia ter sido feita no ano passado, porque se ele não estava dando conta, ele tinha que liberar e facilitar a vida de todo mundo”, analisou o prefeito.

Ulisses Maia apontou que a Prefeitura deixou disponibilizado R$ 100 milhões oriundos do superávit do município no ano passado para investimentos em saúde, inclusive na compra de vacinas.

Além dessa compra direta, Maringá ainda integra o Consórcio Nacional de Cidades da Frente Nacional dos Prefeitos, que planeja utilizar recursos federais e também doações de fundos nacionais e internacionais como verbas adicionais aos caixas dos municípios para a compra das vacinas, como forma de auxiliar o Governo Federal a suprir a imunização em todo Brasil.

“A iniciativa surgiu pela necessidade dos prefeitos agirem, uma vez que está havendo omissão ou a letargia na distribuição de vacinas. A hora que estiver juridicamente ok, havendo laboratórios que tenha disponibilidade, a Frente vai comprar”, finalizou o prefeito.

Veja a íntegra da entrevista com o prefeito Ulisses Maia, de Maringá.

LEIA MAIS: Cardiologista Marcelo Queiroga aceita convite de Bolsonaro para substituir Pazuello na Saúde

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="751315" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]