Uso do celular coloca pedestres em risco

Mariana Ohde


Digitar, ler, falar e usar fone de ouvidos enquanto caminha compromete a atenção do pedestre em até 80%. A distração com o aparelho celular pode resultar em atropelamentos, ocorrência que já soma 1.387 casos nos primeiros quatro meses do ano em todo Paraná. Segundo a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, os municípios com maior número de registros são Curitiba, Maringá, Londrina, Ponta Grossa, São José dos Pinhais e Cascavel.

“No ano passado realizamos uma grande ação para alertar os motoristas dos perigos de digitar e dirigir, mas o problema também atinge os pedestres. Desatentos, eles não escutam buzinas, não percebem bicicletas, atravessam as ruas sem olhar. O risco desta desatenção pode ser fatal”, alerta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

Em alguns países, o uso de celular pelos pedestres se tornou um problema tão grande que medidas extremas foram tomadas para reduzir os riscos de acidentes. Foi o caso da Prefeitura de Augsburg, na Alemanha, que instalou um semáforo específico, fixado no chão, para que o pedestre que está com os olhos baixos, no celular, perceba os sinais na rua.

Em Nova Jersey, nos Estados Unidos, uma lei de caráter punitivo sugere o pagamento de multa de até US$ 50 ou 15 dias de prisão para quem for flagrado andando pelas ruas com as mãos ocupadas por aparelhos eletrônicos. Metade do valor da multa seria destinada à educação de segurança sobre os perigos de andar escrevendo ao celular.

No Japão, calçadas delimitadas para pedestres que não abandonam o aparelho também estão em estudo como forma de evitar empurrões, tropeços e quedas.

O assunto está sendo discutido neste domingo (22) na campanha “31 dias para mudar o trânsito”, promovida pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) para o Maio Amarelo, com vídeo e posts para as redes sociais.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal