Vai ter bate chapa nas eleições da APP-sindicato

Jordana Martinez


A quase três meses do registro das chapas, as eleições da APP- Sindicato movimentam professores e servidores da rede estadual de ensino. Pelo menos três chapas devem disputar a preferência dos educadores; uma que representa a atual gestão, outra representada pelo professor Luiz Paixão Rocha, a “APP Independente, Democratica e de luta” e uma terceira, encabeçada pela professora Isabele de Félix Pereira, que promete sacudir a disputa. A votação acontece em setembro e irá definir a direção estadual, o conselho fiscal e as diretorias regionais dos 29 núcleos sindicais.

Filha do ex-presidente da APP-sindicato, o professor Eduardo Tavares Pereira, Isabele é professora há 18 anos e concursada há dez, e pretende “recuperar as conquistas da categoria”. “Hoje, com essa gestão, estamos perdendo conquistas, como a hora-atividade por exemplo. Os professores estão desmotivados e eu vou ser a voz dessa maioria silenciosa que não está de acordo com o que tem acontecido. Hoje, interesses político-partidários estão se sobrepondo aos interesses da categoria. Partidarizou-se de tamanha forma, foi criada uma máquina de pressão política”, afirmou em entrevista ao Paraná Portal.

Segundo ela, há 15 anos esse mesmo grupo se alterna no poder: “é preciso que as pessoas voltem a participar do sindicato porque há outras opções. Essa é uma grande oportunidade de mudança”. Como propostas, Isabele quer aumentar a transparência no sindicato dos professores; “hoje não se consegue achar o estatuto, o balanço patrimonial, as despesas operacionais”, afirmou.

As afirmações foram recebidas como provocação pelo atual presidente, o professor Hermes Leão: “Nós temos uma definição estatutária que é a luta dos direitos da categoria. Nós podemos afirmar isso com muita legitimidade. A APP é um sindicato reconhecido pela sociedade, pelo Ministério Público Federal. O que a professora Isabelli faz é uma reprodução da fala do Governador Beto Richa. Ela está se apossando de um pensamento do governo estadual. Uma tese grave distorcida,” rebateu.

O grupo representado pelo professor Paixão, que também se diz de oposição, estaria, segundo ele, organizado em todo o Paraná. “Há três anos atrás organizamos uma chapa de oposição e obtivemos 42% dos votos para a diretoria estadual. Ganhamos as direções de 12 núcleos sindicais, entre estes os dois maiores: o de Curitiba Norte e o de Londrina. Na eleição passada resolvemos apresentar uma chapa para a direção estadual e para uma parte das regionais de última hora. Para esta eleição estamos nos organizando com bastante antecedência. Portanto não tem nenhuma lógica esta afirmação de chapa laranja”, afirmou.

“Somos oposição a atual direção estadual da APP. Temos várias críticas. Na nossa opinião o grupo que está à frente precisa ser mudado. A APP atravessa um processo de burocratização preocupante. Quanto mais burocratizado o sindicato fica mais distante dos interesses da categoria”, argumentou.

 

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.