Veículos apreendidos em blitz nas ruas de Curitiba vão a leilão

Na próxima quarta-feira (24), a partir das 11h (de Brasília), 69 veículos apreendidos em operações de trânsito em Curiti..

Francielly Azevedo - 22 de outubro de 2018, 23:09

Foto: SMCS
Foto: SMCS

Na próxima quarta-feira (24), a partir das 11h (de Brasília), 69 veículos apreendidos em operações de trânsito em Curitiba serão leiloados. São 47 automóveis e 22 motos que não foram resgatadas pelos donos dentro do prazo legal de 60 dias após o recolhimento.

Os interessados podem conferir os modelos até esta terça-feira (23), das 9h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30, no pátio localizado na Rua Alberto Klemtz, 310, bairro Portão.

Entre os modelos disponíveis estão automóveis das marcas Fiat, GM, Volkswagen, Renault, Peugeot e Ford. Os lances iniciais variam de R$ 500 a R$ 9,9 mil. No caso das motos, das marcas Honda, Yamaha, Suzuki e Ava/Kymco, os lances variam de R$ 150 a R$ 4 mil.

Mais informações sobre cada veículo disponível podem ser consultadas no site do pregoeiro.

PROCEDIMENTOS

A realização de pregões de carros recolhidos pelos órgãos oficiais está prevista no artigo 328 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que estabelece que se o veículo removido não for reclamado no prazo de 60 dias, contando da data do recolhimento, será levado a leilão.

Podem ser removidos carros, caminhões, ônibus e motos parados, por exemplo, em horários proibidos pela sinalização, em vagas exclusivas para idosos ou para pessoas com deficiência, em guias rebaixadas ou em espaços reservados para outros tipos de veículo, como pontos de táxi.

A fiscalização é feita por agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) e por guardas municipais que têm a atribuição de atuar no trânsito, na cidade toda. Os profissionais também atendem a solicitações da própria população, feitas por meio da Central 156.

Após o serviço de remoção, a autoridade de trânsito fixa um adesivo amarelo no solo com a inscrição “Removido” no local em que se encontrava o veículo, com informações relativas à marca e modelo do veículo e os contatos aos quais o cidadão pode recorrer para regularizar a situação.

O veículo é, então, levado até o pátio da empresa prestadora do serviço de guincho e, caso o proprietário não apareça para fazer a retirada, o carro pode ser leiloado após o prazo legal determinado.

**Com informações da SMCS**