Vereador de Campo Largo tem bens bloqueados por manter assessora fantasma

A Justiça decretou a indisponibilidade de bens do vereador Joslei Natal Basso de Andrade e do presidente da Câmara Munic..

Mariana Ohde - 05 de outubro de 2016, 09:40

A Justiça decretou a indisponibilidade de bens do vereador Joslei Natal Basso de Andrade e do presidente da Câmara Municipal de Campo Largo, Márcio Ângelo Beraldo, pela manutenção de uma "funcionária fantasma" na Casa. A servidora comissionada, Noeli Antonia Fedalto, também teve seus bens bloqueados.

A liminar, proferida no dia 26 de setembro, atende uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca. Segundo a ação, a funcionária, nomeada em janeiro do ano passado pelo vereador para o cargo de “assessora comunitária”, nunca trabalhou.

A decisão fixou o bloqueio de bens no valor de R$ 40.575,27 - total equivalente aos vencimentos recebidos pela servidora desde sua nomeação.

Uma eventual condenação por ato de improbidade pode levar a sanções como o afastamento da função pública, suspensão dos direitos políticos, devolução dos valores recebidos indevidamente ao erário e multa, entre outras.

Em relação ao presidente da Câmara, verificou-se por meio da investigação que ele teria agido com negligência ao deixar de implantar sistema de controle de frequência e de jornada de trabalho idôneo dos servidores da Casa Legislativa.

A investigação que resultou na ação civil pública foi desenvolvida com suporte do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP-PR, por meio da Operação Caixa Preta, deflagrada no início deste mês para apurar a existência de diversas irregularidades na Câmara, dentre elas, a de funcionário fantasma no legislativo municipal.

(Com informações do MP-PR)