Quase metade das viaturas paranaenses estão paradas

Metro Jornal Curitiba

confronto tem morto e feridos no Cabral

Diretor do Deto (Departamento de Gestão do Transporte Oficial), Coronel Marco Antônio Ramos, estimou ontem que 8.500 das 17.500 viaturas do Paraná estão paradas. Ele compareceu na CPI da Assembleia que investiga possíveis irregularidades no contrato de manutenção da frotas e baseou os números em relatórios de abastecimento.

O governo recém assinou um contrato emergencial de manutenção e por isso o balanços ainda não estão fechados. Segundo Marco, há 9 mil viaturas sendo abastecidas e até o final deste mês 90% delas devem estar “consertadas e em operação”.

Os deputados estão investigando possíveis irregularidades no antigo contrato de manutenção, com a JMK. No último balanço oficial, da antiga empresa, eram 5 mil viaturas paradas – 41% a menos em relação ao número atual.

Ontem a JMK voltou a negar irregularidades e afirmou que as investigações estão “desmontando as suspeitas de superfaturamento”. A Operação Peça Chave da Polícia Civil apontou que os prejuízos poderiam chegar aos R$ 125 milhões, mas o número é definido pela JMK como irreal, visto que durante a vigência do contrato o governo pagou R$ 153,3 milhões

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="651568" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]