Violência contra idosos aumenta 75% no Paraná

Fernando Garcel

Parana Portal
Eduardo Xavier | Metro Jornal Maringá

O número de casos de violência contra idosos no Paraná no primeiro semestre deste ano cresceu 75% em comparação com o mesmo período do ano passado. Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) mostram que o registros saltaram de 191 para 325.

Na primeira metade de 2015, a conta é de 184 boletins de ocorrência. Em 2015 todo foram 351 casos e, em 2016, um total de 478.

Curitiba é a cidade com a maior quantidade de casos contabilizados, um total de 278 entre 2015 e 2017. Na sequência vêm Londrina (53), Foz do Iguaçu (31), Ponta Grossa (29), Cascavel (28) e Maringá (27).

Os dados têm como base boletins de ocorrências feitos pela polícia. Mas o presidente do Conselho Estadual dos Direitos do Idoso do Paraná, Leandro Meller, órgão da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social, lembra que, pelo Estatuto do Idoso, a violência vai além da física e são tipificas a psicológica, patrimonial e também negligência.

CapturarMeller afirma que campanhas e estratégias explicam a ampliação gradativa do número de casos no Estado porque as vítimas ganham mais consciência de que denunciar o agressor é a melhor forma de resolver o conflito. Na relação de intimidade fica mais difícil romper a cadeia de violência. “Na maioria das vezes, a violência acontece dentro de casa e é cometida por um integrante da família. E nem sempre ela é física. Pode ser patrimonial, por exemplo, que parte de um parente que se apodera do dinheiro da aposentadoria do idoso”, disse.

A partir das denúncias, a rede de proteção à pessoa idosa em cada município pode começar a agir. “Seguimos fazendo ações para dizer à sociedade que violência, de qualquer natureza, não é algo normal.”

Denúncias

Os casos de violência contra esta parcela da população podem ser denunciados pelo telefone 181, pelo Disque 100, na DHPP e também ao Ministério Público.

Previous ArticleNext Article