Vítimas de acidente que deixou 8 mortos na BR-277 recebem alta

CBN Curitiba

acidente br 277, vítimas, são josé dos pinhais

Todos os 23 feridos do grave acidente que ainda deixou oito mortos, na BR-277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite do último domingo (2), receberam alta dos hospitais onde estavam internados, na capital paranaense.

A CBN Curitiba entrou em contato com todos os hospitais para onde as vítimas foram levadas e as duas últimas que ainda estavam internadas, no Hospital Cajuru e no Hospital do Trabalhador, receberam alta nesta quarta-feira (5), segundo as assessorias dos hospitais.

O acidente aconteceu por volta das 22h30 e, segundo o Corpo de Bombeiros, o primeiro acidente aconteceu entre alguns carros, mas sem gravidade. No entanto, um caminhão vinha logo atrás e acabou atropelando algumas pessoas que aguardavam atendimento. Na sequência, os outros veículos não conseguiram desviar e também se envolveram no engavetamento.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o acidente envolveu 22 veículos, sendo cinco motocicletas, quinze carros, uma viatura da Polícia Militar e um caminhão.

O motorista do caminhão envolvido no acidente foi ouvido pela Polícia Civil de São José dos Pinhais. O delegado Fábio Machado, responsável pelas investigações, afirmou que o motorista estava na velocidade permitida para a via e que o que foi determinante para a ocorrência do acidente foi a fumaça do incêndio e a forte neblina.

“As pessoas relataram pra gente que estavam andando com a visibilidade normal e ‘de repente sumiu tudo’, foi essa a expressão utilizada. O motorista do caminhão que foi ouvido disse ‘é como se tivesse um muro caído na minha frente e eu não vi mais nada a partir daquele momento’. Quando ele percebeu, ele tentou ainda evitar o acidente desviando o veículo para o acostamento, mas infelizmente haviam pessoas naquele canteiro e elas foram atingidas”, contou o delegado Fábio Machado.

Em nota, a empresa para a qual o motorista do caminhão prestava serviço, informou que, no momento do acidente, ele seguia para São Paulo, após um final de semana de descanso com a família e que “se solidariza com as vítimas e se coloca à disposição das autoridades competentes para fornecer as informações necessárias à investigação e conclusão dos motivos que originaram esse gravíssimo acidente”.

Já o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) informaram que pediram informações à concessionária que administra o trecho sobre as causas do acidente.

Por fim, a Ecovia informou que seguiu os protocolos de segurança no atendimento à ocorrência, e que iniciava processo de sinalização na pista quando acidente aconteceu.

A concessionária afirmou ainda que a falta de visibilidade foi o motivo para o acidente.

Previous ArticleNext Article