Volta às aulas Paraná: suposto termo de responsabilidade gera polêmica

Mirian Villa


Um suposto termo de responsabilidade que deve ser assinado por pais de alunos do Paraná gerou polêmica neste sábado (1º), nas redes sociais. Isso aconteceu porque o modelo diz que os responsáveis estão cientes “do agravamento e dos riscos que envolvem o retorno às aulas presenciais, não podendo responsabilizar a instituição de ensino, bem como o Governo do Paraná por eventual contaminação ou desenvolvimento de Covid-19”.

Nas redes sociais, o texto do documento causou insatisfação dos pais. Alguns afirmam que as crianças não podem voltar para às escolas antes da vacina. Outros alegaram que as aulas remotas são a maneira mais segura e pedem para que o ano letivo continue dessa forma.

Já a Seed (Secretaria de Estado da Educação do Paraná), diz que o documento é um esboço do termo de responsabilidade que os pais de alunos do Paraná devem assinar e que ele ainda irá passar por algumas alterações. “Não foi aprovado, é uma coisa que está em estudo”, afirmou a assessoria de comunicação da Seed. O documento foi encaminhado para os membros do comitê.

O protocolo de volta às aulas no Paraná prevê uma consulta aos pais, com o objetivo de entender qual modelos os responsáveis se sentem mais seguros: presencial ou remoto.

“Nós vamos aplicar uma pesquisa para verificar a intenção da família em levar o aluno na aula presencial. Se a família entende que o aluno não deve retornar, essa vontade da família vai ser respeitada e o aluno continua o ano letivo de maneira remota”, afirmou Gláucio Dias, diretor-geral da Seed.

Após grande repercussão nas redes sociais, a Seed divulgou que o documento é falso.

PROTOCOLO DE VOLTA ÀS AULAS NO PARANÁ

O protocolo, divulgado nesta semana pela Seed, prevê um distanciamento de 1,5m em todos os espaços. Além disso, será feita também a aferição de temperatura de todos que entrarem a escola, tendo como limite 37º.

Já os horários de entrada e saída devem ser redefinidos e intercalados, para evitar a aglomeração de pessoas e a circulação simultânea de grande número de alunos e nas áreas comuns. A compra de insumos, como álcool em gel, e EPIs, como máscara de proteção, está prevista.

Quando a data for definida pela Sesa, o protocolo prevê um retorno gradual, por faixa etária, na seguinte ordem:

  • Estudantes do 3º ano do Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental;
  • Estudantes do Ensino Médio;
  • Estudantes do Ensino Fundamental I e II;
  • Estudantes da Educação Infantil;

Leia aqui a versão correta, segundo a Seed, do ‘Protocolo Segurança – Aulas Presenciais’!

Previous ArticleNext Article