Volume coletado de lixo reciclável deve dobrar em Maringá

Julie Gelenski


Por Metro Jornal Maringá

Com a ampliação do serviço de coleta seletiva para todos os bairros, a partir de hoje, Maringá deve dobrar o volume de material recolhido e encaminhado para reciclagem. Os distritos de Iguatemi e Floriano também serão atendidos. “Em média, recolhíamos entre oito e dez toneladas por dia. Agora a expectativa é recolher entre 16 e 20 toneladas diárias”, diz o gerente de Coleta de Resíduos da Semusp (Secretaria Municipal de Serviços Públicos), Emerson César da Rocha.

A coleta será feita por 12 caminhões, sendo cinco furgões próprios e sete compactadores usados anteriormente para a coleta convencional. Segundo Rocha, a prefeitura deve comprar novos caminhões para substituir os compactadores, porém ainda não há data prevista para isso. Os caminhões da coleta seletiva vão recolher papel, papelão, metal e vidro, que deverá ser embalado para evitar acidentes com os coletores.

O lixo reciclável, conforme orientação do gerente, deve ser deixado na calçada, sob a lixeira, para facilitar a identificação e evitar a contaminação com lixo orgânico. Também será possível descartar sucata eletrônica, embora, nesses casos, o ideal é agendar a coleta diretamente com a cooperativa pelo telefone 3255-1171.

Renda e emprego

Com o aumento da coleta também será possível elevar a renda dos catadores de recicláveis que atuam nas sete cooperativas do município. Segundo a presidente da Coopernorte, Sheila Alves Matos, hoje cada catador recebe R$ 1,1 mil mensalmente pelo processamento de cerca de 40 toneladas. “Esperamos aumentar esse volume. Temos capacidade para reciclar cerca de 100 toneladas”, assegura.

Painel horários e dias da coleta

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="415489" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]