Vereador exonera assessor que bêbado atropelou mulher na calçada, xingou e tentou agredir vítima

CBN Curitiba


O vereador Zezinho Sabará, do PDT, falou nesta terça-feira (26) na tribuna da Câmara sobre o caso do assessor dele que foi preso em flagrante após atropelar uma mulher pelas costas no bairro CIC. Embriagado, o homem, de 63 anos, ainda xingou e tentou agredir a vítima.

O parlamentar culpou o consumo de bebida alcoólica pela atitude do assessor. “É uma pessoa competente, trabalhadora, um senhor de 63 anos, é meu braço direito no trabalho. Mas, infelizmente a maldita bebida, que destrói famílias, mata no trânsito, em todos os lugares causa desgraça. Então ele não pode beber. Ele não bebe direto, mas acontece de ir com os amigos numa lanchonete, num churrasquinho, mistura com remédios e perde a cabeça. Então ele atropelou essa pessoa, não causou ferimentos, mas bastou pra causar essa polêmica porque tava embriagado”, disse.

O vereador disse ainda que defende punição rigorosa para quem dirige sob o efeito de bebida alcoólica e que por isso exonerou o assessor. “Não compactuo com essa situação, não concordo, sou contra. Sou a favor de penas pesadas pra quem faz isso, a favor de perder a carteira, perder o carro. Por isso exonerei o meu funcionário”, afirmou.

Segundo o vereador, o agora ex-assessor foi orientado a se tratar. “Se um dia ele provar pra sociedade que ele não vai ter esse problema mais, ele pode até voltar a trabalhar. Porque ele é uma boa pessoa, trabalhador. Então orientei ele a ir se tratar”, contou.

De acordo com testemunhas, o agora ex-assessor bebia em um bar no início da noite da última quinta-feira (21) quando cometeu o delito. O delegado Edgar Dias Santana, da Delegacia de Delitos de Trânsito, informou que o homem saiu com o carro pela calçada na rua Professor Algacyr Munhoz Mader e atingiu a mulher que voltava do trabalho.

“Uma pessoa estava caminhando pela calçada e visualizou o veículo estacionado de forma irregular na calçada, com o condutor dentro. Após passar pelo carro, o veículo arrancou e atropelou a vítima. Na sequência, o condutor saiu do veículo e proferiu alguns palavrões para a vítima. Populares, que se encontravam nas redondezas, abordaram esse indivíduo e um policial militar acabou detendo e conduzindo o indivíduo até a unidade policial”, relatou

O homem não tem Carteira Nacional de Habilitação. O homem era servidor comissionado com salário mensal bruto de R$ 10 mil. Ele vai responder por embriaguez ao volante e conduzir veículo sem autorização para dirigir. Como a vítima fez o Boletim de Ocorrência, mas não mostrou interesse de representar contra o homem, criminalmente ele não deve ser responsabilizado.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="597711" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]