Zombie Walk reuniu 20 mil mortos-vivos em Curitiba

Mariana Ohde


No último domingo (26), 20 mil mortos-vivos marcharam pelo centro da cidade na Zombie Walk, um dos eventos mais aguardados do Carnaval curitibano. O levantamento é da Polícia Militar (PM).

Os foliões nada tradicionais fizeram um trajeto a pé de pouco mais de um quilômetro – entre a Boca Maldita e a Praça Dezenove de Dezembro. No meio do caminho, uma parada estratégica no Paço Municipal. Na Praça Generoso Marques, mais uma vez os zumbis dançaram a coreografia da música Thriller, do Michael Jackson.

Neste ano, o evento quase não aconteceu. A Zombie Walk foi suspensa na semana passada por falta de autorização da prefeitura. A caminhada foi confirmada apenas após uma reunião na quinta-feira (23) entre o prefeito Rafael Greca (PMN) e o coordenador do evento, Docca Soares.

Docca afirma que o saldo dessa edição da Zombie Walk foi positivo – mesmo com o desentendimento com a prefeitura. “Muita gente compareceu, a caminhada seguiu de forma bastante tranquila, as pessoas se divertiram. Neste ano, tivemos a presença ilustre do Blindagem, fechando o show, o que deu um toque a mais, mas outras bandas muito legais estiveram lá”, disse.

“Foi muito bacana o evento, apesar de todos os problemas que aconteceram antes. Acho que essa energia de um evento que quase foi cancelado contagiou as pessoas”, afirma.

A caminhada dos mortos-vivos acontece desde 2009 na capital e é uma alternativa para quem não gosta das festividades tradicionais. No ano passado, a Zombie Walk reuniu mais participantes do que o desfile de escolas de samba de Curitiba, assim como neste ano. Segundo a Polícia Militar, foram 15 mil participantes na caminhada dos zumbis em 2016 e a Fundação Cultural, organizadora do evento, estimou que 20 mil pessoas acompanharam a festa. Nos desfiles de Carnaval, tanto em 2016 quanto em 2017, a estimativa é que 15 mil pessoas tenham participado.

Veja as fotos da caminhada:

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal