Coluna Social
Compartilhar

Novas aventuras do Pinduca II

A Prefeitura de Curitiba dá calote na cultura A prefeitura está tirando o direito da população à cultura.ANÚ..

Ruy Barrozo - 05 de dezembro de 2016, 15:56

A Prefeitura de Curitiba dá calote na cultura

pinduca_wall800_01

 

A prefeitura está tirando o direito da população à cultura.

Foi informado a anulação do Edital Livre da Fundação Cultural de Curitiba.

A verba deste edital - única verba do fundo em 2016 - garantia diversas atividades artísticas e culturais gratuitas para a população de todas as regionais de CWB, é responsável não só pela geração de empregos da comunidade artística, de movimentação do comércio e atividades afins, mas é principalmente responsável por garantir ao cidadão curitibano o direito constitucional de acesso à arte e à cultura.

A garantia desse direito fundamental é responsabilidade do estado e no caso da cidade de CWB é responsabilidade da Prefeitura através da Fundação Cultural de Curitiba.

O raciocínio de cortar gastos da cultura como sendo uma área não prioritária precisa ser combatido fortemente.

O não cumprimento deste direito é considerado um grande retrocesso e prejuízo para todos.

Os investimentos na cultura não são nem 1% do orçamento municipal e agora estão diminuindo ainda mais, argumentando redução de custos. Isso mostra a desconsideração da Prefeitura de Curitiba com o valor da cultura para a nossa cidade.

Além de interferir nos aspectos subjetivos dos modos de pensar e agir dos sujeitos, o direito à arte e cultura implicam no desenvolvimento da nossa cidade, desde a manutenção de programação e atividades culturais em espaços públicos e privados, até toda uma cadeia de trabalho e movimentação econômica da cidade.

No Brasil, 320 mil empresas estão voltadas para a produção cultural - quase 6% do total de empresas no país.

Empregam formalmente cerca de 3,7 milhões de pessoas e são responsáveis por 8,5% dos postos de trabalho, segundo levantamento recente feito pelo IBGE.

Os números nacionais, indicam que, apesar dos parcos investimentos públicos -sempre abaixo de 1 % do orçamento Estatal - ainda assim, a economia da cultura é responsável por movimentar quase 3% do PIB nacional.

Com a anulação do Edital Livre, o qual já contava com um recurso orçamentário reduzido e contemplaria 60 projetos nas áreas das artes e da cultura: música; artes cênicas, compreendendo teatro, dança, circo e ópera; audiovisual – cinema, vídeo, internet, televisão e rádio; literatura; artes visuais – fotografia, artes plásticas, design e artes gráficas e tecnológicas; patrimônio histórico, artístico e cultural; folclore, artesanato, cultura popular e demais manifestações culturais tradicionais, passamos a testemunhar o sucateamento de ideias, projetos e realizações no campo das artes e cultura em geral. Estamos mais uma vez juntos lutando pela cultura como parte importante e crucial para a sociedade.

15327818_1505113422838985_1531624953_n

 

 ruy.barrozo