Coluna Social
Compartilhar

RB| Arte

O artista francês Arnaud Laval teve por muitos anos seu nome associado à cenografia que dava a aura mítica as grandes ca..

Ruy Barrozo - 20 de fevereiro de 2019, 20:39

O artista francês Arnaud Laval teve por muitos anos seu nome associado à cenografia que dava a aura mítica as grandes casas da moda europeias.

Nascido em Reims, Arnaud Laval tem uma paixão pelo teatro de Shakespeare, principal inspiração para suas obras: desenhos, gravuras e especialmente suas "caixas de teatro", instaladas em pequenos universos, representam cenas fantásticas em seus mundos oníricos de papel.

Depois de estudar na escola de Artes Aplicadas de Praga, desenvolveu a cenografia de "Mágico de Oz" encenada por Michael Meschke e "O que aconteceu com Hans e Gretel?”.

Dirigido por Luisa Meschke em Marionetteatern, Estocolmo/1965 - 1968.

Arnaud Laval volta a Paris, estudando animação na ORTF e dirigindo uma série de desenhos para crianças.

Ao mesmo tempo, ele estudou gravura no estúdio de Friedlaender em Paris.

Ele constrói um mundo de cenários e figurinos para Elisabeth Janvier do Teatro de Aubervilliers "Nils Holgerssons", em seguida, para Jean-Louis Temporal, cria a cenografia e figurinos para "O Menino e os Feitiços" obra de Colette e composição musical por Maurice Ravel no Théâtre Romain Rolland de Villejuif -1972-1974.

Retoma as gravura e ilustração de livros infantis - Flammarion, Grasset, Presse de la Cité, Artemis Verlag Zurich, Emme Edizioni Milão, Lemiscaat Netherlands - bem como filmes de animação.

Ao mesmo tempo, foi chamado para elaborar o design de um grande evento comercial para o lançamento de um perfume Guerlain, ele entra na direção artística desta casa como designer - 1979.

Em 1988, Arnaud foi chamado por Yves Saint-Laurent Parfums para ser responsável pela decoração internacional de suas lojas ao redor do mundo. Inúmeras viagens e a reatividade necessária aguça sua criatividade para novos projetos.

Em 1992, ele é convidado a se juntar a Maison Lanvin como diretor de design de interiores.

Em 1994, ele fundou sua empresa como um consultor criativo internacional independente quando atuou para Jean-Paul Gaultier, Issey Miyake, Yamamoto, Chantal Tomas, Armani, Make Up For Ever, Lancome, L’oréal, Viktor & Rolf, Lanvin, Guerlain, Serge Lutens.

Em 2001, uma linha de móveis foi criada como "Arnaud Laval Design".

Desde 2005, ele voltou para sua paixão original: cenografia, gravuras, desenhos, pequenas esculturas e a criação de suas "Teatro Boxes" que compõem a exposição na Galeria Minsky em Paris, com abertura no próximo dia 14 de março, às 18h.

O curitibano radicado em Campinas, Guilherme de Almeida, entabulou uma parceria com Laval para ter em seu primeiro livro sobre a temática de Educação e Direitos Humanos uma das obras do artista na capa de sua publicação em uma mensagem de esperança e significado.

Sucesso!