Coluna Social
Compartilhar

RB Artes plásticas

Exposição “Te empresto meus olhos” inaugura neste sábado como parte do Circuito Integrado da Bienal de Curitiba.N..

Ruy Barrozo - 23 de outubro de 2017, 21:49

Exposição “Te empresto meus olhos” inaugura neste sábado como parte do Circuito Integrado da Bienal de Curitiba.

Numa experiência única, a mostra dos alunos da Oficina de Fotografia para Pessoas com Deficiência Visual da Biblioteca Pública do Paraná será aberta neste sábado como parte do Circuito Integrado da Bienal de Curitiba’17.

A exposição “Te empresto meus olhos” é o resultado da produção da oficina organizada desde 2015 pela fotógrafa Juliana Stein, que já apresentou trabalhos em mais de 10 países e foi a representante brasileira no Pavilhão da América Latina da Bienal de Arte de Veneza em 2013.

Para fotografar, “algumas pessoas utilizam os sentidos; outras, a ausência destes”, diz uma das alunas e a expositoras, Adriana Ceccatto Barbosa.

“Defino a fotografia como a arte de imprimir uma ou várias escritas de vida a uma imagem, visto que cada um tem a sua forma de enxergar o mundo e vivenciar as experiências do cotidiano”, conta, para explicar que, para enxergar, é possível ir muito além da visão biológica.

Fazem parte da exposição fragmentos dos processos de produção, conta Juliana Stein.

“A exposição tem o objetivo de refletir sobre temas centrais na fotografia contemporânea e envolve, sobretudo, a experiência da imagem — seus modos de aparição e produção. Partimos do desafio concreto de abordar a questão pela especifidade de sua produção — pessoas que não utilizam a retina e sim o corpo como câmera escura”, diz a fotógrafa e curadora da mostra.

Segundo ela, esta é uma exposição que resulta das formas de experimentação nos campos da fotografia e percepção de mundo.

O nome – Te empresto meus olhos – vem do interesse em observar certas práticas e usos dos processos de ver.

“A pessoa com deficiência visual não vê como eu vejo, mas eu também não vejo como ela vê”, analisa Juliana Stein.

A produção desta exposição não é uma forma conclusiva, mas se coloca como uma proposição e abertura para novos diálogos e manifestações neste sentido. Os artistas Adriana Barbosa, Isabel Bruck, Wagner Bittencourt, Antônio Nunes e Anastácio Braga, que acompanham a oficina desde seu início, assinam e estão retratados nas fotografias da mostra.

“Cada um vem descobrindo e aprimorando formas de experienciar a fotografia. Por exemplo, o toque do que está sendo fotografado, a noção espacial, a presença e ausência de luz”, comenta Adriana Barbosa.

A exposição “Te empresto meus olhos” será aberta às 11 horas deste sábado no hall térreo da Biblioteca - Rua Cândido Lopes, 133, Centro.

E permanece aberta à visitação até 30 de dezembro, com entrada franca.ruy.barrozo