Coluna Social
Compartilhar

RB| Artigo

Formar bons cristãos e virtuosos cidadãos - * Pedro Antônio Bernardes.Dia 6 de junho de 1840 faleceu o santo padr..

Ruy Barrozo - 20 de junho de 2018, 03:22

Formar bons cristãos e virtuosos cidadãos - * Pedro Antônio Bernardes.

Dia 6 de junho de 1840 faleceu o santo padre São Marcelino José Bento Champagnat, fundador da Congregação dos Irmãos Maristas, Instituto hoje com ampla atividade em 82 países dos cinco continentes.

O santo francês nasceu em 20 de maio de 1789.

Herança, carismas, ideais e projetos de Champagnat e de seus seguidores consagrados e educadores leigos centralizam efetivamente todos os seus esforços e ações na formação integral de bons cristãos e virtuosos cidadãos.

E de que mais o Brasil e a humanidade globalizada estão precisando hoje? -questiona o padre franciscano Frei Ladi Antoniazzi?

O ser humano cristão e politizado cuida melhor de si, da saúde, da família, da Pátria, dos outros e da natureza.

As transformações sociais e políticas de repercussão de que o nosso país e o mundo necessitam com urgência são o entendimento, a animação e a participação consciente, séria e decisiva da juventude.

Qualquer processo de mudança dificilmente iniciará sem a união da população, sobretudo dos jovens.

Sem a força jovem, a possibilidade de a nação melhorar progressivamente é incerta, remota e incompleta.

Educar e politizar são duas esferas muito próximas.

Ensinar a não roubar, nem enganar e mentir; lavar as mãos antes das refeições e outros hábitos de asseio; conhecer as potencialidades e limitações do corpo, aprender a estudar e trabalhar em equipe, respeitar as normas de trânsito, ajudar o portador de deficiência atravessar a rua, tudo isso é educação, politização, solidariedade, moral, civismo, espiritualidade e relacionamento humano verdadeiramente cristão.

Poucos se deram conta de que higiene e limpeza no fundo do quintal é sinônimo de saúde, qualidade de vida e bem-estar.

É, por exemplo, esta linguagem que deve ser levada para dentro das escolas, no campo, nas favelas, nas Igrejas, nas famílias.

Por isso, cada segmento pode, espontânea e gratuitamente, materializar um plano prático de educação, saúde e civismo.

De acordo com o espaço ocupado na mídia, um Brasil é formado pelos exploradores, Estado esbanjador e ineficiente, retóricos, corruptos, improdutivos, caros e estereotipados -, e o outro é constituído pelos explorados, trabalhadores e empreendedores cada vez mais especializados, que empregam todas as suas forças e patriotismo para traçar perspectivas e novos horizontes, mas, infelizmente, é um contingente desunido e pouco politizado.

Politização, ética e educação cívica são componentes essenciais para viver com dignidade.

Quanto mais o país investir neste tripé, mais rapidamente sepultará a corrupção e a concentração de poder e riquezas nas mãos de poucos.

Em seu lugar, despontará um amanhã promissor para a coletividade.

O povo passará a ter consciência das responsabilidades com a nação e a moralização pública.

Aí, sim, estará apto a eleger parlamentares e governantes competentes e probos.

Pedro Antonio Bernardi é economista, professor e jornalista –pedro.professor@gmail.com.