Coluna Social
Compartilhar

RB| Dia do deficiente visual

Artista plástico ensina técnica de artes visuais no Instituto Paranaense de Cegos.André Baía passou uma tarde com..

Ruy Barrozo - 14 de dezembro de 2019, 11:05

Artista plástico ensina técnica de artes visuais no Instituto Paranaense de Cegos.

André Baía passou uma tarde com deficientes visuais para ensinar técnica aplicada em sua nova exposição “desenho de contorno cego”.

Uma arte orgânica, imperfeita e com muita expressividade.

É essa a proposta do artista André Baía em sua série de obras com a técnica desenho de contorno cego, que pode ser encontrada em exposição na Galeria Solo.

A técnica consiste em o artista observar um objeto ou pessoa e desenhá-lo sem olhar para o papel ou tela.

Com o objetivo de compartilhar essa forma de arte com pessoas desprovidas da visão, André Baía realizou uma oficina de arte no Instituto de Cegos do Paraná, na última quarta-feira.

“Conversando com a professora de artes do Instituto, ela comentou que eles não acreditam que o que produzem nas aulas seja arte, por não terem um resultado final exato. O que eu quero levar nessa oficina é o conceito de que arte não é uma fórmula exata e sim o processo, a manifestação de um sentimento, que vem de dentro. Assim como a técnica que apliquei na minha nova exposição de desenho de contorno cego, eu busco capturar na minha obra algo que vai muito além da percepção da visão”, comenta o artista plástico.

As pinturas com base no desenho de contorno cego, além de terem a intensidade e a personalidade do artista impressa na obra, busca capturar a essência e a aura da pessoa observada.

O resultado é uma pintura ­gurativa distorcida, com pinceladas expressivas e bem visceral.

“Para a oficina eu vou adaptar a técnica. Os alunos irão perceber sua própria feição por meio do tato e então traçar seus contornos. Serão duas etapas, primeiro com o lápis e depois com o alto relevo para que eles possam pintar”, explica André, que mostra a técnica nesse vídeo https://www.instagram.com/p/BzqaTcWA-pv/?igshid=10ophbhi4ws0y.

Exposição de André Baía em cartaz na Galeria Solo

André Baia é o artista convidado da exposição de estreia da Galeria Solo, espaço dentro do restaurante Sale Pepe, no centro que acabou de ser inaugurado.

A galeria terá exposição permanente do consagrado artista plástico Luiz de Souza, sempre com artistas convidados.

André dedica o seu trabalho ao estudo da figura humana e a sua representação artística.

Suas obras exploram a anatomia de uma maneira dinâmica. Retrata a natureza humana e todas suas expressões, sentimentos e emoções com tato e delicadeza.

Busca, em cada nova tela, quebrar paradigmas sociais formais, e aborda, de forma sutil e criativa, temas bastante complexos.

Sua autenticidade e a criatividade de suas obras vêm chamando a atenção no meio artístico. André já está com exposições marcadas fora do Brasil em 2020.

Na série exposta na Galeria Solo, André mostra sua arte por meio da técnica do desenho de contorno cego, trazendo um novo olhar para o retrato.

“Em um malabarismo de emoções, com traços soltos e descontraídos busco nas minhas obras a percepção de uma experiência autêntica e original. Gosto de pôr em xeque o mito da perfeição e da pureza, que no fundo não existe. Acredito que abraçar o erro nos deixa mais humano, é isso que nos da personalidade”, explica.

É essa ausência do correto e a provocação do imperfeito que marca a exposição de André Baia, que fica em cartaz até fevereiro de 2020 na Galeria Solo - Rua XV de Novembro, 818, anexo ao restaurante Sale Pepe.