Coluna Social
Compartilhar

RB| Educação

Governantes mirins assumem a gestão de minicidade.Prefeito, vice-prefeito e vereadores tomam posse das responsabi..

Ruy Barrozo - 04 de abril de 2018, 01:51

Governantes mirins assumem a gestão de minicidade.

Prefeito, vice-prefeito e vereadores tomam posse das responsabilidades como governantes de uma cidade educativa.

Projeto que existe há 44 anos ensina política e cidadania na escola.

O projeto Cidade Mirim do Colégio Opet é uma minicidade estruturada dentro do ambiente escolar.

Os governantes da Cidade Mirim, do Colégio Opet, em CWB tomam posse das suas responsabilidades na cidade educativa nesta terça-feira.

O projeto criado há 44 anos ensina política e cidadania para crianças de todas as idades.

Os novos gestores têm entre sete e dez anos e terão a oportunidade de gerenciar uma cidade e vivenciar cidadania e política na prática.

A Cidade Mirim é uma minicidade estruturada dentro do ambiente escolar.

A eleição do prefeito, vice-prefeito e vereadores ocorreu em 30 de novembro. Eram seis meninas e meninos nas chapas candidatas à Prefeitura e 21 pequenos e pequenas candidatos às vagas na Câmara dos Vereadores.

Alunos da educação infantil e ensino fundamental I conheceram os seus governantes no dia 1º de dezembro.

Após dois dias de expectativa, o resultado apontou a eleição do novo prefeito Luiz Otávio Ferreira, então aluno do 4º ano.

O vice-prefeito eleito foi Murilo Sabatin Machado, também do 4º ano.

Ambos hoje estão no 5º ano.

O aluno Francisco Carvalho Oliveira Neto, do 2º ano, foi o vereador mais votado e eleito o presidente da Câmara de Vereadores.

Ele será responsável por gerenciar o legislativo com 12 nomes eleitos entre vereadores e vereadoras.

Após a homologação dos governantes mirins eleitos, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná promoveu a diplomação dos eleitos do pleito municipal da Cidade Mirim em 27 de março.

O processo é parte do Programa Informando o Cidadão, da Escola Judiciária Eleitoral do Paraná - EJE-PR.

A coordenadora da Cidade Mirim, Santina Brandalize, explica que a posse é o momento para assumir as responsabilidades e iniciar a trajetória de aprendizado.

“Brincando de gente grande, as crianças estão na verdade experimentando na prática importantes conceitos de cidadania. Dessa forma, elas reconhecem seu papel dentro de uma sociedade, para que no futuro ajam e contribuam como cidadãos responsáveis, conscientes e críticos”.

Eleição e mandato

Todos os alunos do Infantil até o 5° ano vivenciam na prática os conteúdos trabalhados em sala, como trânsito, sistema monetário e frações, por exemplo, além das experiências de cidadania, e votam nas eleições com o acompanhamento das professoras e a orientação dos pais sobre as melhores propostas.

Os políticos mirins são eleitos entre os alunos do 2.º e 3.º ano (vereadores) e 4.º (prefeitos) para mandato no próximo ano letivo.

As reuniões do legislativo e executivo ocorrem durante o ano na Câmara de Vereadores para debater e avaliar o andamento das propostas.

Prefeito e vice-prefeito permanecem na prefeitura durante alguns recreios para atender a população.

Cidade gerida pelas crianças

A cidade tem ruas sinalizadas e semáforos que permitem que os alunos possam dar os primeiros passos da cidadania.

A estrutura conta com Prefeitura, Câmara de Vereadores, fórum, centro comercial, banco, rádio, posto de saúde, bosque, centro cultural e brinquedoteca.

O prefeito ou prefeita recebe uma cota orçamentária.

O objetivo é fazer com que o valor seja multiplicado a partir do planejamento de ações que envolvam a comunidade escolar. Há também sessões no fórum para discutir assuntos relevantes para a gestão da cidade e a aprovação de projetos propostos pelos governantes mirins.

Gestão anterior

A ex-prefeita é Sophia Zanatta Flizikowski, de 10 anos, aluna do 5° ano.

Para a gestora que deixa a função, o cargo exige a dedicação como qualquer responsabilidade política da “vida real”.

"Meu maior desafio foi realizar as minhas propostas e dos outros políticos. Foi desafiante unir todos para alcançarmos os objetivos. O apoio da escola e dos outros alunos foi fundamental para sermos bem-sucedidos na nossa gestão", diz. "Foi uma experiência muito legal. Tivemos reuniões, debates e ações que me ensinaram a trabalhar em equipe. Às vezes era difícil chegar a um acordo, mas aprendi a respeitar a opinião dos outros. Tive a oportunidade de conhecer outros alunos da escola e aprender sobre cidadania e responsabilidade", completa.