Coluna Social
Compartilhar

RB| Opinião

Para construir a fé e a globalização do amor - * Pedro Antônio BernardiDia 2 de fevereiro de 2018, a igreja matri..

Ruy Barrozo - 17 de março de 2018, 18:56

Para construir a fé e a globalização do amor - * Pedro Antônio Bernardi

Dia 2 de fevereiro de 2018, a igreja matriz Santa Inês, em Balneário Camboriú/SC, realizou série de entrevistas e gravações de programas de TV, juntamente com a Anuncia-me, como parte das comemorações pelos 50 anos da Paróquia.

Comunicação, oração, trabalho, educação, entretenimento e caridade são alicerces do amor a Deus, crescimento espiritual do ser humano, liberdade, felicidade e fraternidade.

Belo exemplo é o trabalho que desenvolve fervorosa e diuturnamente frei Ladi Antoniazzi, pároco da cinquentenária Igreja Santa Inês.

Parte dos turistas do Brasil e do exterior escolhe Balneário Camboriú para descansar e passar férias, porém muita gente do quadrante da terra viaja exclusivamente para participar de celebrações eucarísticas, novenas, bênçãos, unção dos enfermos, palestras, confissões comunitárias e cursos ministrados pelo religioso franciscano.

A missa dominical pelas famílias, às 10h, por exemplo, reúne multidão de crianças, jovens e adultos. Entusiasmo, animação e qualidade das pregações de frei Ladi contagiam e alegram gente de todos os credos.

Em plena era da comunicação e educação, o Criador benevolente se serve de criaturas humildes e santas, entre as quais os sacerdotes, religiosos e religiosas, diáconos, catequistas, ministros da Eucaristia, para estreitar fronteiras entre cultura humanizada, ciência compartilhada, progresso sustentado e valores morais, éticos e espirituais.

Obras que dignificam as criaturas e promovem o bem social, econômico, técnico, político e científico fortalecem a fé e complementam a construção do Reino de Deus.

Oralidade e arquitetura discursiva perfeita, frei Antoniazzi simula realidades dos três tempos: ontem, hoje e amanhã, educa a liberdade para ser feliz e fiel a Deus, relaciona incoerências da modernidade que lesam a dignidade e a fraternidade, recomenda mudanças interiores para curar tumores que corroem a convivência pacífica e a realização pessoal, familiar e social.

Da acolhida à bênção final, a fé do povo e os apelos do celebrante se encarnam de esperanças, libertação e vivência familiar e comunitária, em benefício pessoal, social e universal.

Frei Ladi é pregador que conscientiza, fermenta e diviniza a humanidade.

Com habilidade pedagógica diferenciada, aponta estradas a abraçar para prosseguir com segurança a caminhada no dia seguinte.

Mostra quão importante são as responsabilidades dos jovens hoje, e dos menos jovens também.

Alerta que as crianças estão excessivamente expostas a violências e hostilidades que dificultam a educação integral e a formação cristã.

Aplausos e louvores a frei Ladi pelo ânimo e dedicação acelerada na globalização da paz e do bem.

A par disso, é oportuno ressaltar sua competência em reunir grande número de ministros, coroinhas, cantores e voluntários que colaboram com seus dons e habilidades para fomentar modernos e eternos planos de acolhimento, formação, evangelização e salvação.

** Pedro Antônio Bernardi é economista, jornalista e professor -pedro.professor@gmail.com.