Coluna Social
Compartilhar

RB| Saúde

Farmácia Nissei já tem vacinas para gripe.O centro de vacinação da rede Nissei está localizado na Sete de Setembr..

Ruy Barrozo - 02 de maio de 2018, 14:19

Farmácia Nissei já tem vacinas para gripe.

O centro de vacinação da rede Nissei está localizado na Sete de Setembro, 6948 e conta com 13 opções de vacinas para diferentes doenças

As farmácias estão a cada dia inovando para trazer comodidade aos clientes. Agora já é possível tomar as vacinas mais procuradas da estação como, por exemplo, as de gripe, pneumonia e meningite, doenças que têm maior incidência entre o outono e inverno.

O Serviços Avançados Nissei - SAN, da loja do Seminário, conta com um Centro que oferece 13 tipos de vacinas.

De acordo com a coordenadora farmacêutica da Rede de Farmácias Nissei, Carolina Escobar, todas as pesquisas apontam que o ano de 2018 teremos uma maior incidência de gripe, superando os registrados em 2017.

“Temos dois tipos desta vacina nos centros de vacinação particulares, a Influenza Trivalente, que é aquela distribuída nos postos de saúde para pacientes específicos, e a Influenza Tetravalente, exclusiva do sistema privado, que é uma versão mais completa e atualizada”, explica.

Segundo ela, o valor da vacina Tetravalente na Nissei está até 25% mais barato do que o preço praticado no mercado curitibano.

“O centro de vacinação ainda tem o diferencial de estar em uma unidade 24h, ou seja, dá para tomar a vacina a qualquer horário e em qualquer dia da semana”, reforça.

A farmácia ainda conta com outros tipos de vacinas tais como, as vacinas para a prevenção da Pneumonia e Meningite.

“As vacinas para pneumonia, ou pneumocócicas, são indicadas principalmente para pessoas com mais de 65 anos. Nesses casos, precisamos da prescrição médica e da carteira de vacinação para registro da aplicação e acompanhamento, pois existem diferentes tipos de vacinas à disposição”, conta Carolina.

Segundo a coordenadora, o mesmo ocorre com a vacina da Meningite, que se propaga mais facilmente no frio devido a permanência das pessoas em locais fechados.

“Antes de toda aplicação analisamos a carteirinha de vacinação e a prescrição, para ver qual reforço deve ser aplicado, uma vez que na infância quase todos recebem as vacinas obrigatórias pelo SUS”, adianta.