Coluna Social
Compartilhar

RB Segurança Pública

Fórum discute falta de segurança no Paraná.O sentimento de insegurança e os registros frequentes de crimes motiva..

Ruy Barrozo - 23 de novembro de 2016, 00:18

Fórum discute falta de segurança no Paraná.

O sentimento de insegurança e os registros frequentes de crimes motivaram o setor supermercadista a discutir o assunto e cobrar ações do poder público.

Com o objetivo de discutir a Segurança Pública e apresentar soluções ao poder público, a APRAS - Associação Paranaense de Supermercados realiza hoje, das 8h às 12h30, no Hotel Mabu Curitiba Express, na CIC, o Fórum “Segurança – Direito de Todos”, que vai reunir especialistas na área, autoridades e varejistas para reivindicar o direito à segurança de toda a população.

Hoje, para garantir uma maior segurança aos seus consumidores, o setor supermercadista paranaense investe anualmente de R$ 290 milhões, gastos em segurança, transporte de valores, alarmes, indenizações, investimentos em monitoramento por câmeras e, principalmente, em perdas por furtos e roubos.

Este valor impacta diretamente no preço final dos produtos oferecidos aos consumidores.

“Infelizmente, a falta de segurança pública nos leva a realizar investimentos em segurança privada, o que além de impactar diretamente no bolso dos nossos clientes, também não garante 100% de segurança, pois apenas uma política pública eficiente é capaz de diminuir efetivamente os índices da criminalidade”, afirma o presidente da APRAS, Pedro Joanir Zonta.

Segundo dados da SESP/PR - Secretaria de Segurança Pública do Paraná, os crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos, tiveram um aumento no estado de mais de 10% no primeiro semestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015.

Apesar de ter aumentado, o número deve ser muito maior.

“Nós, cidadãos do Paraná, temos um índice de sentimento muito maior do que este percentual apresentado. Na realidade, este índice representa apenas os registros realizados pela população que fazem o boletim de ocorrência, mas sabemos que a quantidade real é muito maior, pois muitas pessoas não realizam a ocorrência por medo, coação, burocracia ou simplesmente por falta de fé na punição”, destaca Zonta.

O Paraná é o terceiro estado com maior número de ataques a bancos registrados no primeiro semestre de 2016, com 98 casos, sendo 53 explosões de caixas eletrônicos, 30 arrombamentos e 15 assaltos, segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores de Segurança Privada -CONTRASP.

Apesar de figurar no Top 3 do ranking brasileiro, o Paraná teve 34 ataques a menos que em 2015, que contabilizou 132 registros.

Porém, esta queda se dá ao fato de que os comércios foram forçados a retirar os caixas eletrônicos de seus estabelecimentos para evitar mais ataques.

Zonta conta que o setor supermercadista assiste com frequência casos em que os meliantes são pegos furtando, são levados para as delegacias, mas que além de nada acontecer, são liberados antes mesmo do que a vítima.

“Isso gera perda de tempo, improdutividade e descrença no sistema”.

Em meio a este cenário, o Fórum “Segurança – Direito de Todos” tem como objetivo colaborar, formular, aprimorar, dar sustentação e continuidade a um Plano de Segurança para o Estado do Paraná.

“Precisamos agir e exercer o nosso papel de cidadãos para cobrar ações do poder público que garantam a punição aos bandidos e a prevenção ao crime. Acredito que temos um longo caminho pela frente, mas devemos começar a pensar em soluções em curto e em longo prazo”.

Para que os objetivos do Fórum não se restrinjam à realização do evento, a APRAS vai reunir as conclusões e soluções encontradas nos debates em um documento, que será entregue às autoridades como uma proposta da sociedade.

Entre os palestrantes está o coronel José Vicente da Silva Filho, que é ex Secretário Nacional de Segurança Pública e mestre em Psicologia Social pela USP; o Coronel Luiz Alberto Leão; a desembargadora Dra. Lidia Maejima, que ocupa o cargo de 2ª vice-presidente do Tribunal de Justiça do Paraná; Dra. Isabel Mendes, integrante da Comissão de Direitos Humanos da OAB/PR Nacional.

Os supermercadistas interessados em participar do evento devem confirmar presença com a APRAS.

Horário de atendimento: 8h30 às 12h e 13h às 18h - Jessica de Melo, Tel.: 41 - 3263.7000 ou e-mail secretaria@apras.org.br.

Números do setor

O setor supermercadista representa 5% do PIB Nacional e faz parte da vida diária da população, com um atendimento de cerca de 550 milhões de consumidores por mês.

A ABRAS - Associação Brasileira de Supermercados representa 38 mil supermercados no país, que empregam mais de 1.850 milhão de pessoas, totalizando 5 milhões contando com os empregos indiretos.

O setor registrou um faturamento de mais de R$ 315 bilhões em 2015 e a expectativa é fechar 2016 com R$ 347 bilhões de faturamento.

A APRAS também possui números muito significativos.

Apenas no Paraná, o setor supermercadista emprega em torno de 102 mil colaboradores, faturou R$ 20,1 bilhões em 2015 e atende cerca de 40 milhões de consumidores por mês.ruy.barrozo