Coluna Social
Compartilhar

RB Solidariedade

Chefs renomados de CWB fazem lanche especial para doadores de sangueCampanha da Unimed Curitiba busca incentivar ..

Ruy Barrozo - 14 de junho de 2016, 23:15

Chefs renomados de CWB fazem lanche especial para doadores de sangue

Campanha da Unimed Curitiba busca incentivar e presentear os doadores na data em que se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue.

Para incentivar as pessoas a doar sangue nesta terça-feira, quando se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue, a Unimed CWB buscou uma solução criativa e saborosa.

DANIELA PROSDOCIMO CALDEIRA

Daniela Caldeira (foto), Manu Buffara e Beto Madalosso, renomados chefs de CWB, irão preparar lanches especiais para aqueles que forem doar sangue no HEMEPAR (das 08h às 13h30) ou no HEMOBANCO (das 07h30 às 18h).

A ação foi desenvolvida pela Heads Propaganda.

“Nosso maior objetivo é aumentar o número de doações, que historicamente cai cerca de 30% no inverno. Além disso, é uma forma criativa de presentear àqueles que dedicam parte do seu tempo para salvar vidas”, explica Valéria Lopes, supervisora de Marketing da Unimed CWB.

No cardápio estão pão de fubá com ricota caseira e raspas de limão siciliano (Dani Caldeira), focaccia veggie (Manu Buffara) e sanduíches de pernil e salmão (Beto Madalosso).

Doações reduzem no inverno

A cada inverno, a história se repete: as doações de sangue caem cerca de 30%. Segundo o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná - HEMEPAR, o volume normal de doações, em CWB, é de 10 a 110 doadores, de segunda a sexta, e de 180 a 200, aos sábados.

No geral, entre 10% e 15% das coletas são inaptas para doação.

Com o frio, as coletas caem para uma média de 65 doadores aptos durante a semana e 120 aos sábados, o que compromete o atendimento pleno da rede hospitalar.

Para fazer frente à queda de oferta de sangue, a oncologista pediátrica Edna Carbone, médica cooperada da Unimed CWB e hematologista do HEMEPAR, destaca a importância das empresas, clubes de serviços, igrejas, sindicatos e entidades de classe realizarem campanhas de conscientização e estímulo à doação de sangue.

Segundo ela, a informação frequente ainda é o principal instrumento de mobilização da sociedade para o abastecimento dos bancos de sangue.

Além das campanhas, Edna destaca o uso de tecnologia em favor daqueles que precisam de sangue.

O Instituto das Cidades Inteligentes desenvolveu o aplicativo Hemogram, de acesso gratuito, que informa quem precisa de doação de sangue e ajuda ao doador frequente a controlar sua agenda de doações.

A partir dos dados cadastrais informados pelos doadores em potencial, quando algum pedido de doação é informado, o aplicativo localiza e avisa aos doadores mais próximos ao ponto de coleta que possuem o tipo de sangue e o fator RH compatíveis com a solicitação.

Doações reduzem no inverno

A cada inverno, a história se repete: as doações de sangue caem cerca de 30%. Segundo o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná - HEMEPAR, o volume normal de doações, em CWB, é de 10 a 110 doadores, de segunda a sexta, e de 180 a 200, aos sábados.

No geral, entre 10% e 15% das coletas são inaptas para doação.

Com o frio, as coletas caem para uma média de 65 doadores aptos durante a semana e 120 aos sábados, o que compromete o atendimento pleno da rede hospitalar.

Para fazer frente à queda de oferta de sangue, a oncologista pediátrica Edna Carbone, médica cooperada da Unimed CWB e hematologista do HEMEPAR, destaca a importância das empresas, clubes de serviços, igrejas, sindicatos e entidades de classe realizarem campanhas de conscientização e estímulo à doação de sangue.

Segundo ela, a informação frequente ainda é o principal instrumento de mobilização da sociedade para o abastecimento dos bancos de sangue.

Além das campanhas, Edna destaca o uso de tecnologia em favor daqueles que precisam de sangue.

O Instituto das Cidades Inteligentes desenvolveu o aplicativo Hemogram, de acesso gratuito, que informa quem precisa de doação de sangue e ajuda ao doador frequente a controlar sua agenda de doações.

A partir dos dados cadastrais informados pelos doadores em potencial, quando algum pedido de doação é informado, o aplicativo localiza e avisa aos doadores mais próximos ao ponto de coleta que possuem o tipo de sangue e o fator RH compatíveis com a solicitação.ruy.barrozo