Coluna Social
Compartilhar

RB| Supermercados estão abusando dos preços.

Os preços da cesta básica vêm aumentando assustadoramente e cada semana.Vejam o caso do leite que subiu em menos de um m..

Ruy Barrozo - 05 de maio de 2020, 21:48

Os preços da cesta básica vêm aumentando assustadoramente e cada semana.

Vejam o caso do leite que subiu em menos de um mês R$ 1.20 o litro, e assim mesmo tem quantidade máxima de unidades por cliente.

Sem falar nos preços das frutas, verduras, carnes e demais lacticínios.

Até refrigerantes e cervejas tiveram seus preços ajustados para mais, sem falar no setor de limpeza aonde o álcool, os detergentes e o Lisoform também aumentaram de preço e estabeleceu-se quantidade máxima por consumidor.Segundo a APRAS – Associação Paranaense de Supermercados A APRAS – Associação Paranaense de Supermercados – que distribuiu nota à imprensa esclarece as altas de preços que alguns produtos sofreram nos últimos dias.

“Os empresários supermercadistas destacam que estão solidários à população e que este não é o momento e lucrar, mas apenas de garantir que não faltem produtos de necessidade básica na mesa dos brasileiros. A APRAS salienta que os supermercados, em geral, não estão medindo esforços para manterem os preços o mais baixo possível. Os seus associados informaram que não mexeram em suas margens e que apenas estão repassando as altas aplicadas pelas indústrias. As indústrias aumentaram os preços de diversos produtos, como o leite, por exemplo, que chegou a ficar 30% mais caro. As redes supermercadistas estão unidas clamando pela conscientização das indústrias para não praticarem preços abusivos. O aumento do volume de compras por parte das indústrias, motivado pelo crescimento desenfreado do consumo, acabou fazendo com que os produtores também leiloem seus produtos para as indústrias, que acabam sendo forçadas a pagarem mais caro para garantir a compra”.

É hora do PROCON e o governo federal tomarem providencias para que não continuem havendo alta de preços durante a pandemia, onde a população, em sua maioria está sem trabalhar e consequentemente, sem ganhar.