Athletico dá os primeiros sinais de reação sob o comando de Paulo Autuori

Vinicius Cordeiro

athletico copa do brasil flamengo

O anúncio do retorno de Paulo Autuori ao Athletico Paranaense deu esperanças ao torcedor, mas o time não tinha apresentado melhoras até a derrota para o Flamengo, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira. O resultado poderia ter sido melhor se não fosse a gigantesca atuação do goleiro Hugo Souza.

A postura mudou do Furacão mudou para melhor: a posse de bola caiu e o incômodo gerado ao adversário aumentou. A equipe foi mais agressiva, o que refletiu em várias chances perigosas mesmo contra o melhor time do país.

As finalizações ilustram bem: foram 15 chutes (cinco na direção do gol) contra o Fla, número três vezes maior em relação à derrota para o Grêmio no último final de semana, quando a equipe finalizou cinco vezes (apenas uma no alvo). As estatísticas são do Sofa Score.

“Usamos mais verticalidade no jogo. É algo que não podemos perder, inegociável. Ser uma equipe agressiva, vertical e com qualidade”, disse Autuori na entrevista coletiva, reforçando que essa deve ser a toada dos seus comandados na sequência da temporada.

SÉRIE A DEVE SER PRIORIDADE

O segundo confronto contra o Fla está marcado para a próxima quarta-feira (4/11), às 21h30, no Maracanã. Alguns torcedores já discutem se é melhor poupar alguns atletas no final de semana para entrar com força máxima na final.

Apesar de Autuori ter alertado que “as coisas são possíveis no futebol”, é importante lembrar a realidade: o Athletico é o 18° colocado no Brasileirão. Me parece claro que o principal é se afastar (e zerar) as chances de rebaixamento o quanto antes. Por isso é necessário ter foco total contra o Sport neste domingo.

Certamente a comissão técnica de Paulo Autuori vai identificar possíveis desgastes, mas a luta pela sobrevivência na Copa do Brasil deve ficar em segundo plano.

WALTER PERDE PÊNALTI, MAS SE DESTACA NA DERROTA DO ATHLETICO

Algumas atuações individuais também merecem destaque, principalmente a de Walter. Apesar do pênalti perdido, ele foi o melhor jogador o Athletico e mostrou que pode sim brigar pela titularidade. De qualquer forma, a equipe conta com dois bons atacantes no elenco.

É incrível ver como o Walter, mesmo sem ter um grande condicionamento físico, vence as batalhas contra os defensores. Consegue proteger a bola como poucos e sobra qualidade técnica. É inteligentíssimo, capaz de perceber espaços e dar passes limpos, que ajudam o domínio do futuro dono da bola.

Reinaldo também chamou a atenção. O jovem atacante atuou aberto pelo lado esquerdo e não encheu os olhos, mas mostrou que pode ser útil ao time. A torcida também parece ter aprovado o então desconhecido jogador, ainda mais que ele ocupa a vaga que seria do bastante criticado Carlos Eduardo.

Na defesa, Zé Ivaldo e Márcio Azevedo tiveram boas atuações. O zagueiro quase entregou o segundo gol no último minuto contra o Fla, mas venceu importantes confrontos individuais contra Pedro.

Já o lateral também foi bem. É verdade que o gol do Flamengo saiu a partir de um cruzamento do lado esquerdo da defesa athleticana. Mas o poder ofensivo do Urubu pelo setor é impressionante: Everton Ribeiro, o melhor jogador em atividade do país, conta com a passagem de Isla em quase todos os ataques. É difícil segurar e totalmente compreensível ter tudo muito trabalho naquele setor.

Previous ArticleNext Article