Com golaços, Athletico tem atuação madura e conquista vitória histórica

Vinicius Cordeiro

Confira a análise do jogo histórico para o Rubro-Negro
athletico sul-americana

A série ruim no Brasileirão, demissão do técnico António Oliveira e os problemas internos, resultados na saída de Jadson, trouxeram desconfiança ao torcedor do Athletico. No entanto, o triunfo por 2 a 1 sobre o Peñarol pela ida da semifinal da Copa Sul-Americana, no Campeón Del Siglo, mostra um Furacão muito equilibrado e maduro.

O golaço de Terans no primeiro minuto foi o aperitivo de uma atuação histórica. O time uruguaio tem ótimos nomes do meio para frente, mas sofreu para furar a defesa rubro-negra – muito bem postada com três defensores.

Thiago Heleno acumulou mais uma grande atuação ao lado de Zé Ivaldo, que cresceu absurdamente nesta temporada. A dupla alavancou Pedro Henrique, que sofreu com problemas de performance até aqui.

Pedro Rocha brilhou pela primeira vez logo após sair do banco, justamente no lugar de Terans. Certamente teve torcedor que criticou a alteração até o gol da vitória.

Por incrível que pareça, a ala esquerda foi a maior estranheza do Athletico no jogo. Abner foi mal e acabou dando vaga para Nicolas. Outro problema, esse mais constante, é o ataque. Bissoli não conseguiu prender a bola no segundo tempo e Renato Kayser segue em má fase.

Mesmo assim, o Peñarol parou no goleiro Santos, que fez duas boas intervenções.

O atacante Álvarez Martínez é extraordinário e seria grande reforço ao Furacão, por sinal.

Martínez é artilheiro da Sul-Americana com 10 gols. (Staff Images/Conmebol)

Só que apesar de ter ótimos jogadores, os uruguaios têm elenco desnivelado. Musto, ex-Internacional, e Ariel Nahuelpán, ex-Coritiba, são provas disso. O meia Nico Gaitán, reserva neste primeiro jogo, é quem pode ser o segredo de uma remontada uruguaia. Mesmo sem tanta intensidade, tem qualidade incontestável.

De qualquer forma, a invencibilidade do Athletico na Arena nesta Sul-Americana e o critério do gol fora de casa são baita seguros para a final. Isso tudo sem um treinador fixo – Paulo Autuori segue em conversas com Rogério Ceni.

Difícil imaginar um roteiro no qual o Peñarol consiga surpreender a ponto de tirar dois gols de diferença sobre o Furacão. E digo mais: a disputa pelo bicampeonato será contra o Bragantino.

LISTA DE JOGOS DO ATHLETICO NA ARENA NESTA SUL-AMERICANA

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="792164" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]