Coritiba terá bate-chapa, mas eleição deve acontecer em 2021

O Coritiba terá corrida eleitoral na eleição em 2020 que definirá a gestão administrativa para o triênio 2021-2023. Os l..

Vinicius Cordeiro - 28 de agosto de 2020, 16:30

PR - COLETIVA/CORITIBA - ESPORTES - Prtesidente Samir Namur durante a apresentação de  Rodrigo Pastana  como diretor executivo de futebol do Coritiba em coletiva de imprensa na Sala de Imprensa do Estadio Couto Pereira em Curitiba (PR)  nesta terça-feira(20).  Pastana foi o responsável pela campanha do acesso do Paraná Clube à Série A, em 2017.
Foto: Geraldo Bubniak/AGB
PR - COLETIVA/CORITIBA - ESPORTES - Prtesidente Samir Namur durante a apresentação de Rodrigo Pastana como diretor executivo de futebol do Coritiba em coletiva de imprensa na Sala de Imprensa do Estadio Couto Pereira em Curitiba (PR) nesta terça-feira(20). Pastana foi o responsável pela campanha do acesso do Paraná Clube à Série A, em 2017. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

O Coritiba terá corrida eleitoral na eleição em 2020 que definirá a gestão administrativa para o triênio 2021-2023. Os líderes dos principais grupos políticos do clube não chegaram a um consenso para ter chapa única na reunião agendada para essa sexta-feira (28), conforme apurado anteriormente.

Participaram do encontro o atual presidente, Samir Namur, além dos possíveis candidatos José Carlos Vialle e João Luiz Buffara Lopes, conhecido como Jango. O pré-candidato Renato Follador Júnior, da chapa Coritiba Ideal, não compareceu e enviou um representante para negar a composição.

A ausência não agradou ao trio formado por Samir, Jango e Vialle, que discutem detalhes para oficializar uma união contra Follador. Essa definição ainda não está totalmente acordada.

Apesar da corrida eleitoral ter sido mantida, é consenso o adiamento da eleição. Com isso, é provável que a votação aconteça ao término do Campeonato Brasileiro, em fevereiro de 2021 após a paralisação por causa da pandemia de covid-19. Isso fará com que o clube não tenha rompimentos nos processos internos e dará mais tranquilidade para a gestão atual cumprir o objetivo do não rebaixamento.

O período eleitoral alviverde está previsto para começar no dia 12 de setembro e cabe ao atual conselho definir a data.

A Coritiba Ideal divulgou nota - veja a íntegra -para justificar a escolha de não aderir à chapa única. Na visão dos opositores, é preciso mudanças mais drásticas do que as propostas dos outros candidatos. A chapa defende, por exemplo, a extinção do cargo de diretor de futebol.

"Não encontramos consonância dos pensamentos de outros pré-candidatos. Não faz sentido uma coalizão sem o know-how, bagagem e qualificação de todos os envolvidos, pois este desacordo poderá causar inconsistência e rupturas futuras comprometendo um plano que requer compromisso em um trabalho de longo prazo para alcançar renovação e mudança", publicou.