Coritiba: Ideia de jogar três defensores é boa, mas momento para aplicá-la foi ruim

Vinicius Cordeiro


O Coritiba entrou em campo no esquema 3-5-2 pela primeira vez em 2020. A experiência, no entanto, não deu certo e o time foi derrotado pelo Flamengo por 3 a 1. O placar nem foi tão elástico, mas o jogo teve amplo domínio rubro-negro. Foram 12 chances claras dos cariocas, que só não anotaram mais gols por causa da fase de desconfiança que a equipe atravessa.

A questão desse texto é que dá para entender os motivos que levaram o técnico Rodrigo Santana a inovar no Coxa. O ponto principal são os laterais Maílton e William Matheus. Ambos têm muita força ofensiva.

O lateral-direito, que já assumiu a titularidade nos dois últimos jogos, mostra as qualidades no ataque desde o ano passado, quando defendia o Operário. Já William Matheus é um dos destaques do time na temporada. Ele soma três assistências na Série A e só perde no quesito para o meia Giovanni Augusto, com cinco passes para gol.

Contudo, a formação trouxe à tona alguns problemas já sabidos.

O principal é que o 3-5-2 demanda mais tempo de trabalho. É preciso muito dinamismo e sincronização dos meias evitar que o time fique tão exposto (como ficou). Apesar do Coxa ter tido a última semana cheia de treinamentos, essa mudança de estilo precisa de um tempo maior (algo que o Coritiba não tem) para a adaptação dos atletas.

Também é preciso pontuar que Nathan Silva pode ser muito útil nesse esquema principalmente pela capacidade física. Vale lembrar que ele esteve com covid-19 e ainda aprimora o condicionamento.

Por outro lado, Rodolfo Filemon já mostrou que não tem nível para ser titular do Coritiba na Série A. É preciso que Rhodolfo tenha condições de entrar em campo ou criar outra solução para a defesa.

De qualquer forma, não poderia ter jogo pior para testar essa formação. Não havia muito segredo na estratégia: suportar a pressão nos primeiros 30 minutos e ter explorado as várias falhas defensivas do Fla.

A ideia do técnico Rodrigo Santana de fazer com que o Coritiba atue com três defensores é boa, mas foi aplicada em uma hora bastante errada.

PRÓXIMO JOGO DO COXA

O clube do Alto da Glória agora está há três jogos sem vencer e precisa pontuar para se aproximar do pelotão que luta contra a zona de rebaixamento. Não há mais tempo a perder.

A derrota, do jeito que foi, pode fazer Rodrigo Santana voltar ao feijão com arroz e armar o time com a linha defensiva com quatro atletas diante do Corinthians. O jogo está marcado para a próxima quarta-feira (25), às 19h30, no Couto Pereira.

Previous ArticleNext Article