Ei … você conhece o Francis?

João Marcos


Conheci o pequeno Francis em uma manhã de calor escaldante em Londrina, onde os termômetros indicavam 32 graus, com prenúncio de se elevarem à medida que o tempo fosse ao meio do dia…
Vinha pedalando na ciclovia do Lago Igapó, quando de longe avistei aquele menino que corria sozinho, em disparada, para alcançar a rua. Observei que escapara de sua mãe que contemplava furtivamente a manhã primaveril.
Acelerei ao máximo a bike, juntamente com os músculos das pernas para ganhar maior velocidade possível e alcançar o pequeno moleque.
Por sorte, alcancei-o antes de ele chegar à rua, interceptando sua trajetória com o pneu dianteiro. Foi um triz, como diria minha avó!
Aos prantos a mãe do Francis se aproximou e com agradecimento no olhar, me fitou. Sua voz não saíra. Emudecera.

Refeito o susto, fiquei conversando com a jovem mãe, que aos poucos foi se acalmando, tomando cor, parando de tremer…
Suas palavras me emocionaram… Me senti um bombeiro quando finda com sucesso sua missão de resgate ou salvamento. É muito gratificante o final feliz!
Como eu estava com o tablet, pedi permissão à mãe do Francis para fotografá-lo. Percebi que tive a petição concedida com a aprovação do coração.
Logo após a foto, por um segundo, o menino novamente correu em direção à rua. “Francis!”, gritou a mãe… E segurou-o. Por isto fiquei sabendo o seu nome.
Que o Anjo da Guarda, continue protegendo o Francis. Mas não precisa assustar assim sua mãe. Nem eu.

Crônicas recomendadas:  Qual o nome? ; A gripe e o golpe
Curta, compartilhe e siga-me no Facebook
Curta a página da editora Mérula

Previous ArticleNext Article