O ponto .

João Marcos


Começo a escrever pelo ponto inicial. Tudo começa com um ponto. É o ponto de partida. É o meu ponto de vista. É minha vista no ponto. E pronto.
A partir do ponto, traço qualquer coisa. Uma reta, um triângulo… Traço caminhos. Caminhos que me levam a você ou a outros amores, todos com seus sabores…
O ponto G é muito interessante. Surpreendente! Eletrizante!
Neste ponto saio do meu controle. Saio e entro. Entro vírgula, aliás, ponto e vírgula.
É assim, uma pontuação sem fim…
Viu a importância do ponto? Não gostou? Não faz mal. Então mais um ponto… o ponto final.

Crônicas recomendadas: No motel…Receita de miojo
Curta, compartilhe e siga-me no Facebook
Curta a página da editora Mérula

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="540656" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]