Saídas de Dome e Coudet são prejudiciais ao futebol brasileiro

Vinicius Cordeiro


Os técnicos Domènec Torrent e Eduardo Coudet, dois dos três líderes do Campeonato Brasileiro, deixaram o futebol brasileiro nesta segunda-feira (9). Não sou adepto da ideia que os técnicos brasileiros não prestam, mas é tolice menosprezar a importância de profissionais estrangeiros no nosso futebol. Não foi coincidência que Jorge Jesus e Jorge Sampaoli foram os primeiros colocados na última temporada.

São caras que elevam o nível do jogo praticado aqui. Os melhores jogos do futebol brasileiro neste ano envolveram essas equipes. Também não é coincidência.

O Fla, com cofres robustos, agora é capaz de buscar qualquer técnico que desejar. O alvo é Rogério Ceni, que faz ótimo trabalho no Fortaleza e deve acertar o contrato nesta terça. Já o Inter tende a apostar em Abel Braga, consagrado no passado do clube e que deve ganhar a liderança da Série A da noite para o dia.

A passagem de Domènec pelo Flamengo durou três meses. Ele deixa o time como vice-líder, às vésperas das quartas de final da Copa do Brasil e classificado para as oitavas da Libertadores. Os resultados dão um aproveitamento de 63,8%, o que só é pouco para o substituto de Jorge Jesus.

O português causou um mal enorme no Rio de Janeiro. Apesar do elenco ser o mais qualificado do Brasil, dificilmente algum treinador terá o mesmo sucesso.

É fato que a equipe de Dome tinha graves problemas defensivos. Mas creio que o fato do vestiário não confiar nas escolhas do técnico é o principal. Isso é nocaute para qualquer técnico no Brasil.

Esse cenário, fora a batalha dos diretores flamenguistas, pesa. Mas ainda acho canalhice trazer um estrangeiro para ficar três meses. Fico imaginando o relato dele a Pep Guardiola. Com certeza ele vai falar que pegou covid-19 e que conheceu gramados horrorosos.

flamengo domenèc torrent dome flamengo demite dome
Domènec Torrent saiu do Flamengo. (Geraldo Bubniak/AGB)

PARA COUDET, SAIR DA ZR NA ESPANHA É MELHOR QUE O BRASILEIRÃO

Já Eduardo Coudet pediu para sair do Internacional, líder do Brasileirão mesmo tendo os desfalques de Saravia, Boschilla e Paolo Guerrero, principais nomes do clube.

O técnico argentino transformou Thiago Galhardo em atacante e se virou como dava. É verdade que o trabalho não era perfeito. Perdeu os Gre-Nais e ficou sem o título estadual (isso realmente ainda conta em 2020?).

No entanto, desagradou boa parte da diretoria ao pedir reforços. Os mandatários colorados se disseram “surpresos” pelo pedido de demissão de Coudet mesmo com as diversas informações (e demonstrações) das rusgas internas. O resultado dessas batalhas dentro do clube? Coudet vai treinar o Celta de Vigo.

Sim, os dirigentes criaram um ambiente tão ruim o técnico prefere lutar contra o rebaixamento na Espanha do que seguir na liderança da Série A. Some isso com a vínculo entre Coudet e clube (ele defendeu o Celta quando era jogador), além de trabalhar na Europa, onde poderá ter uma ascensão maior na carreira.

Quem agradece? Atlético Mineiro, São Paulo e Palmeiras, que estão na crescente em busca do primeiro lugar.

Previous ArticleNext Article